Geral
publicado em 20/08/2012 às 20h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: University of Strathclyde
David Birch, pesquisador envolvido no estudo
  « Anterior
Próxima »  
David Birch, pesquisador envolvido no estudo

Pesquisadores da Universidade de Strathclyde, na Escócia, mapearam a estrutura da melanina e deram um passo significativo no sentido de identificar a estrutura de defesa natural da pele contra os raios solares.

A descoberta pode aumentar a compreensão das causas do câncer de pele e levar a novos tratamentos contra a doença.

A composição de melanina, pigmento de pequenas moléculas encontradas no cabelo, olhos e cérebro, bem como a pele, tinha sido estabelecida, mas não era ainda conhecido como elas estão dispostas.

Agora, os pesquisadores descobriram novas indicações de melanina sendo posicionada em uma estrutura semelhante ao grafite. O estudo pode oferecer pistas sobre a natureza do melanoma, forma mais virulenta do câncer de pele, que aparece como um tumor maligno nas células dos melanócitos, onde a melanina é produzida.

"Melaninas são onipresentes no corpo humano e funcionam como um protetor solar natural, mas, ao mesmo tempo em que oferecem proteção contra os raios ultravioleta, elas também produzem moléculas de radicais livres. Estas são altamente reativas e podem matar células, levando ao câncer, e por isso é essencial entender mais sobre como funciona a melanina", explica o pesquisador David Birch.

Segundo os pesquisadores, embora a estrutura não seja totalmente conhecida, fomos capazes de descobrir que ela é montada em uma forma de folha empilhada. A estrutura detalhada ainda está para ser confirmada, mas isso dá uma indicação importante da formação da melanina em uma direção até então inexplorada. "Iremos explorar mais este achado e esperamos ganhar mais uma visão sobre como o melanoma ocorre", ressalta Birch.

De acordo com dados Cancer Research UK, cerca de 12.800 casos de melanoma maligno foram diagnosticados no Reino Unido em 2010, quando havia cerca de 200 mil novos casos em todo o mundo em 2008. Mais de um terço dos casos diagnosticados no Reino Unido são em pessoas com idade inferior a 55 anos. As taxas de sobrevivência para o melanoma têm aumentado nas últimas décadas, mas a doença ainda causa cerca de 46 mil mortes no mundo em 2008.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Câncer de pele    Melanoma    Melanina    Pigmento da pele    Universidade de Strathclyde    David Birch   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Câncer de pele    melanoma    melanina    pigmento da pele    Universidade de Strathclyde    David Birch   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.