Geral
publicado em 08/08/2012 às 16h40:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Divulgação/NYC Public School
Pesquisa pode melhorar tratamento da dislexia, que atinge entre 5 e 10% das crianças do mundo
  « Anterior
Próxima »  
Pesquisa pode melhorar tratamento da dislexia, que atinge entre 5 e 10% das crianças do mundo

Cientistas alemãs descobriram que o mau funcionamento de uma estrutura do cérebro que processo os sons da fala pode ser a causa da dislexia, condição que causa dificuldades na área da leitura e escrita.

A pesquisa fornece bases para o desenvolvimento de tratamentos para a condição que causa dificuldades na área da leitura e escrita entre 5 a 10% de todas as crianças do mundo.

A equipe liderada por Begona Díaz e seus colegas descobriu que muitas dificuldades associadas à dislexia podem, potencialmente, ser associadas a uma deficiência no núcleo geniculado medial do tálamo.

Os resultados mostraram que pessoas disléxicas têm um defeito na estrutura que transfere a informação auditiva do ouvido para o córtex, o corpo geniculado medial do tálamo auditivo não processa os sons da fala corretamente.

"Este mau funcionamento no início do processamento de linguagem pode refletir em todo o sistema. Isso explica por que os sintomas da dislexia são tão variados", explica Díaz.

Os pesquisadores realizaram dois experimentos em que vários voluntários tiveram que realizar tarefas de compreensão de falas.

Enquanto os indivíduos realizaram tarefas que exigiam o reconhecimento dos sons da fala, eles passaram por ressonância magnética. As gravações mostraram respostas anormais na área ao redor do corpo geniculado medial nos participantes afetados.

Em contraste, não houve diferenças entre os controles e os participantes disléxicos se as tarefas envolviam apenas ouvir o discurso sem ter que realizar uma tarefa específica.

"O problema, portanto, nada tem a ver com o processamento sensorial em si, mas com o processo envolvido no reconhecimento da fala. Não houve diferenças entre os dois grupos de teste em outras áreas do caminho de sinalização auditivo", observa Díaz.

Segundo os pesquisadores, reconhecer a causa de um problema é sempre o primeiro passo no caminho para o sucesso do tratamento.

Eles planejam agora avaliar se os programas atuais de tratamento podem influenciar o corpo geniculado medial, a fim de tornar o aprendizado e a leitura mais fáceis para pessoas com dislexia a longo prazo.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Dislexia    leitura    corpo geniculado medial    Max Planck Institute for Human Cognitive and Brain Sciences    Begoña Díaz   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.