Geral
publicado em 01/08/2012 às 20h50:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Enquanto em outros países mães militares costumam desmamar seus filhos de quatro a seis meses mais cedo que as demais mulheres, no Brasil não há essa diferença. A conclusão é de um estudo apresentado na Faculdade de Medicina da UFMG, que ressalta a importância do aleitamento materno em todos os casos.

A pesquisa mostra que mesmo a chamada atividade operacional, que consiste no patrulhamento nas ruas, não é determinante para o desmame precoce entre as militares. Para a autora da dissertação, Tatiana Bossert Freitas, tenente farmacêutica da Polícia Militar de MG, duas hipóteses podem explicar o fato. "Muitas vezes a mãe é direcionada para atividades mais administrativas ao voltar da licença-maternidade. Mas também pode ser que, apesar de suas características peculiares e questões militares, a atividade operacional não tenha mesmo nenhuma interferência no que se refere ao aleitamento materno", explica.

Cem mães militares foram entrevistadas, entre maio de 2009 e setembro de 2011. O objetivo era descobrir como e por quanto tempo elas amamentavam, além de coletar dados sobre a carreira militar. Desse total, 94 fizeram o aleitamento materno, com duração média de sete meses. O aleitamento exclusivo, no entanto, foi praticado por somente 23% dessas mães, por um período de apenas quatro meses. "Esses resultados ainda estão aquém do recomendado pela OMS, que é de aleitamento exclusivo nos primeiros seis meses e complementado até os dois anos", afirma a autora.

O estudo também ressaltou a importância de informar as mães corretamente sobre o valor do aleitamento materno adequado. Ao contrário do que seria esperado, mães que receberam informações sobre o assunto no pré-natal amamentaram seus filhos por um tempo menor. A autora da pesquisa aponta a falta de preparo dos pediatras como possível explicação. "Estudos mostram que pediatras com treinamento específico sobre o assunto têm efeito positivo nos índices de aleitamento materno", conta.

A solução apontada são as consultas de lactação, voltadas especificamente para oferecer informações sobre o aleitamento materno, com especialistas no assunto. O serviço poderia ser prestado no Hospital Militar, no caso das mães militares, e pelos profissionais do Programa Saúde da Família, no caso das civis.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Amamentação    Aleitamento    Mães militares    Maternidade    Gestante   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Amamentação    aleitamento    mães militares    maternidade    gestante   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.