Saúde Pública
publicado em 14/07/2012 às 13h24:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Christine McNab/Measles & Rubella Initiative
Foto: Christine McNab/Measles & Rubella Initiative
Foto: Christine McNab/Measles & Rubella Initiative
Vacinação contra Rubéola na Nigéria, África Vacinação contra Rubéola no Nepal, Ásia Vacinação contra Rubéola em Laos, sudeste da Ásia
  « Anterior
Próxima »  
Vacinação contra Rubéola na Nigéria, África
Vacinação contra Rubéola no Nepal, Ásia
Vacinação contra Rubéola em Laos, sudeste da Ásia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reafirma meta de eliminar a rubéola em âmbito global até o ano de 2020. Para isso recomenda que países que ainda não implementaram a vacina contra a doença considerem a realização da ação por meio de programas bem estabelecidos de imunização contra o sarampo.

Em abril de 2012, foi lançada a estratégia Measles Initiative - agora conhecida como Measles & Rubella Initiative - que deu origem ao Global Measles and Rubella Strategic Plan que abrange o período de 2012 - 2020. O Plano inclui novas metas globais para 2015 e 2020.

A iniciativa encoraja 62 países que atualmente não administram vacina contra a rubéola a utilizar o sistema de entrega de vacinas contra o sarampo para introduzir a vacina contra rubéola em seu esquema de imunização nacional e proteger as famílias contra as duas doenças de forma combinada.

A OMS afirma que a rubéola foi eliminada na maioria dos países desenvolvidos e em desenvolvimento, graças a campanhas de vacinação em larga escala. Em dez anos, esforços para combater as mortes por sarampo resultaram em uma redução de 74% na mortalidade mundial por sarampo, de uma estimativa de 535.300 mortes em 2000 para 139.300 em 2010.

O novo Plano Estratégico apresenta uma estratégia de cinco frentes para reduzir as mortes globais por sarampo em pelo menos 95% até 2015 em comparação com os níveis de 2000 e alcançar a eliminação do sarampo e da rubéola em pelo menos cinco regiões da OMS até 2020. As estratégias incluem:

alta cobertura vacinal;

monitoramento da propagação da doença utilizando laboratórios de vigilância;

preparação e resposta aos surtos de sarampo e rubéola;

comunicação e envolvimento da comunidade e

pesquisa e desenvolvimento.

Segundo a OMS, 110 mil bebês nascem com a síndrome da rubéola congênita. Quando uma mulher é infectada com o vírus no começo da gravidez, há 90% de chance de transmissão para o feto, com risco de aborto e deformações.

A rubéola é mais comum em crianças e jovens adultos e o contágio é pelo ar. Os sintomas são erupções da pele, febre, náusea e conjuntivite. Os bebês que nascem com a síndrome congênita podem sofrer problemas de audição, visão e no coração, além de autismo ou diabetes.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Rubéola    Vacina. Organização Mundial da Saúde    OMS    2020   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
rubéola    vacina. Organização Mundial da Saúde    OMS    2020   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.