Geral
publicado em 04/07/2012 às 14h22:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Divulgação/Newcastle University
Teste de aplicação mostra a diferença entre dentes tratados com a enzima (a esq.) ou não
  « Anterior
Próxima »  
Teste de aplicação mostra a diferença entre dentes tratados com a enzima (a esq.) ou não

Dentistas e pesquisadores da Universidade de Newcastle, no Reino Unido descobriram que cremes dentais e enxaguantes bucais enriquecidos com enzimas de micróbios presentes em algas marinhas podem melhorar a resistência dos dentes e dentaduras.

A pesquisa, apresentada na conferência da Society for Applied Microbiology, revela que a enzima isolada da bactéria Bacillus licheniformis encontrada na superfície das algas impede que as bactérias que vivem na boca corroam o esmalte dos dentes.

Os resultados mostram que o micróbio é capaz de proteger áreas onde ocorre o acúmulo de placas bacterianas nos dentes, apesar da escovação, uma vez que as enzimas desse micro-organismo conseguem dissolver essas formações. Consequentemente, as substâncias fortalecem os dentes e evitam quedas.

Quando ameaçadas, as bactérias se protegem por meio de uma barreira viscosa protetora. Esta camada, conhecida como biofilme é constituída por bactérias mantidas juntos por uma teia de DNA extracelular que une as bactérias a uma superfície sólida, neste caso, a placa em torno dos dentes e gengivas. O biofilme protege as bactérias de ataque pela escovação e por outros produtos químicos.

No entanto, ao estudar a bactéria marinha Bacillus licheniformis, os cientistas descobriram que quando a bactérias quer proliferar, ela libera uma enzima que degrada o DNA externo, quebrando o biofilme e liberando as bactérias da teia. "É um fenômeno surpreendente. A enzima rompe e remove as bactérias presentes na placa bacteriana e pode impedir a acumulação de placa em excesso", explica o líder da pesquisa Grant Burgess.

"Cremes e enxaguantes tradicionais trabalham esfregando e retirando a placa que contém as bactérias, no entanto isso nem sempre é eficaz. Por isso pessoas que mantêm uma higiene bucal regular ainda apresentam problemas", destaca o pesquisador Nicholas Jakubovics.

Segundo a equipe, as enzimas não removeriam completamente as placas, mas seriam responsáveis pela eliminação de bactérias nocivas, como o Streptococcus mutans, que causam a queda dos dentes. "Queremos aproveitar esse poder das em um creme dental, enxaguante bucal ou solução para limpeza de dentaduras", ressalta Jakubovics.

Eles alertam, no entanto, que mais estudos são necessários para comprovar a segurança e a eficácia da técnica. O próximo passo da equipe é desenvolver o produto para comercialização.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Dente    Dentadura    Algas marinhas    Resistência    Creme dental    Universidade de Newcastle    Nicholas Jakubovics   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Dente    dentadura    algas marinhas    resistência    creme dental    Universidade de Newcastle    Nicholas Jakubovics   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.