Geral
publicado em 28/06/2012 às 17h20:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Divulgação/Pancrazio Campagna
Planta da espécie Thapsia garganica
  « Anterior
Próxima »  
Planta da espécie Thapsia garganica

Uma substância química tóxica encontrada em uma planta do Mediterrâneo pode ser a base de uma nova droga capaz de tratar o câncer.

A pesquisa, descrita na revista Science Translational Medicine, mostra que a planta Thapsia garganicacontém tapsigargina, um produto químico extremamente tóxico que mata as células cancerosas.

A substância trabalha bloqueando uma proteína chamada SERCA, que ajuda as células a controlar seus níveis internos de cálcio. Isso torna a tapsigargina tóxica para ambas as células em divisão e aquelas em período de repouso, ao contrário das drogas atuais contra o câncer que têm como alvo apenas as células que estão se dividindo rapidamente.

Em teoria, isso significa que medicamentos à base de tapsigargina poderiam atacar cânceres de crescimento lento assim como as células-tronco cancerosas que são resistentes aos tratamentos e que ativam a progressão da doença.

Para o trabalho, pesquisadores da Johns Hopkins University School of Medicine demonstraram que uma droga experimental baseada em tapsigargina é capaz de tratar tumores em camundongos e parece ser relativamente não tóxica.

Para criar a droga experimental, Samuel R. Denmeade e seus colegas modificaram tapsigargina por meio de uma ligação com uma molécula à base de proteínas chamada peptídeo, eliminando sua toxicidade.

O peptídeo é concebido para ser removido por uma segunda proteína, conhecida como PSMA, encontrada em concentrações elevadas na superfície de muitos tipos diferentes de câncer.

Isto significa que, quando o peptídeo ligado a thiapsigargin entra em contato com as células cancerosas com PSMA, ele é removido e thiapsigargin mata as células de forma imediata.

A abordagem pode ser útil para o uso conjunto com outros tratamentos, no entanto, os pesquisadores ressaltam que ela ainda precisa ser testada em ensaios clínicos de grande porte.

A técnica está atualmente sendo testada em 28 pacientes nos Estados Unidos que têm câncer avançado, para saber mais sobre sua toxicidade. Estudos mais amplos vão ser planejados, caso este seja bem sucedido.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Câncer    tapsigargina    planta do mediterrâneo    Thapsia garganica    Johns Hopkins University School of Medicine    Samuel R. Denmeade   
Comentários:
Comentar
Oscar Julian
postado em:
21/10/2010 13:12:22
tengo un pariente mujer de unos 60 años con cancer y la verdad ya no se como ayudarlo
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.