Geral
publicado em 15/06/2012 às 14h30:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: UNC/Health Care System
Rato
  « Anterior
Próxima »  
Rato "humanizado" tem pleno funcionamento do sistema imunológico humano

Pesquisadores dos Estados Unidos demonstraram que, em modelos de ratos humanizados, o leite materno humano é capaz de impedir a transmissão oral do HIV.

O estudo, publicado na revista PLoS Pathogens, fornece um panorama significativo para a capacidade do leite materno para destruir o HIV.

As estatísticas indicam que mais de 15% das novas infecções com o vírus HIV ocorrem em bebês e, sem tratamento, apenas 65% deles sobrevivem mais de um ano, enquanto menos da metade chega aos dois anos de vida.

O artigo indica que, embora se atribua ao aleitamento um número significativo dessas infecções, a maioria dos bebês amamentados pelas mães soropositivas não tem a infecção, apesar da exposição prolongada e repetida.

Para entender se o aleitamento transmite o vírus ou protege contra ele, os cientistas da University of North Carolina School of Medicine recorreram a um modelo de rato "humanizado" em laboratório. O rato 'BLT' humanizado tem um sistema imunitário humano em pleno funcionamento.

"Os ratos são, por essência, resistentes à maioria das doenças que afetam os humanos. Para usá-los neste tipo de estudos, é preciso torná-los parcialmente humanos. Estes ratos são trabalhados um por um por meio da introdução de células-tronco da medula óssea humana às seis semanas de idade. As células humanas vão a todos os órgãos como boca, esôfago, pulmões, intestino, fígado e sistemas reprodutivos que se enchem de células humanas", explica o autor da pesquisa J. Victor Garcia.

O HIV infecta somente os chimpanzés e os humanos, mas só deixa os humanos doentes. Com a reconfiguração de células humanas, os ratos tornam-se suscetíveis à infecção com o HIV.

A equipe, que trabalhou com mais de 50 ratos, administrou em alguns deles o leite de mães saudáveis misturado com HIV, e a outros apenas o HIV, em ambos os casos por via oral.

"Os ratos sensíveis à infecção e que receberam apenas o vírus adoeceram. Já os que receberam o vírus com leite materno não adoeceram. Este estudo fornece um panorama significativo para a incrível capacidade do leite materno para destruir o HIV e prevenir a sua transmissão oral, além de fornecer novas pistas para o isolamento de produtos naturais que podem ser utilizados para combater o vírus", afirma Garcia.

A equipe agora pretende realizar estudos para avaliar se o leite de mães infectadas tem o mesmo efeito, no entanto, eles sugerem que as últimas descobertas fornecem pistas importantes para tratamentos alternativos que já poderiam ser usados para prevenir a transmissão.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   HIV    Aids    Leite materno    University of North Carolina School of Medicine    J. Victor Garcia   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
HIV    Aids    leite materno    University of North Carolina School of Medicine    J. Victor Garcia   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.