Ciência e Tecnologia
publicado em 13/06/2012 às 14h20:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Amor paterno tem tanta - ou até mais - influência sobre a personalidade dos filhos quanto o amor materno. Esta é a conclusão de um estudo de longo prazo realizado na Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, sobre os efeitos da aceitação e da rejeição dos pais sobre a formação da personalidade dos filhos.

A análise avaliou centenas de estudos, de diversas partes do mundo, incluindo mais de 10 mil participantes, da infância até a idade adulta. Quando avaliaram separadamente o impacto da presença ou da ausência do amor do pai ou do amor da mãe, os pesquisadores encontraram uma diferença significativa. Segundo a equipe, dados colhidos apontam que a influência da rejeição paterna é significativamente maior do que a da mãe.

Os psicólogos levantam uma hipótese para explicar essa diferença: segundo eles, pode ser que as crianças e os adolescentes deem mais atenção ao pai quando este parece ter mais prestígio e poder interpessoal. Assim, se uma criança percebe o pai como alguém de maior prestígio, ela pode ser mais influenciada por ele do que pela mãe.

" A mensagem mais importante que se pode tirar dessas constatações, quaisquer que venham a ser suas explicações, é que o amor do pai é crítico para o desenvolvimento de uma pessoa" , diz o co-autor do estudo Ronald Rohner. Segundo ele, o estudo sobre importância do amor do pai deve ajudar a motivar os homens a se tornarem mais envolvidos no cuidado com os filhos, além disso, deve ajudar a reduzir a mania de colocar a culpa de tudo nas mães, uma tendência nas escolas de psicologia e psiquiatria desde Freud.

Os pesquisadores explicam que em casos de rejeição, as crianças se sentem mais ansiosas e inseguras, e desenvolvem maior hostilidade e agressividade em relação às outras pessoas. Na idade adulta, estes indivíduos terão mais dificuldade em estabelecer relacionamentos firmes e de confiança com seus parceiros.

Estudos envolvendo neuroimagens mostram que a rejeição ativa as mesmas partes do cérebro que a dor física. "Contudo, ao contrário da dor física, as pessoas podem reviver psicologicamente a dor emocional da rejeição por anos a fio," conclui Rohner.

Acesse aqui o Abstract do estudo.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Paternidade    Os pais    O amor paternal    A influência    A personalidade da criança    Ronald Rohner      
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Paternidade    os pais    o amor paternal    a influência    a personalidade da criança    Ronald Rohner       
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.