Geral
publicado em 11/06/2012 às 12h15:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Mike Cohea/Brown University
Foto: Brown University
Anubhav Tripathi, autor do estudo Dispositivo isola RNA da gripe e em seguida amplifica e detecta sondas ligadas ao RNA
  « Anterior
Próxima »  
Anubhav Tripathi, autor do estudo
Dispositivo isola RNA da gripe e em seguida amplifica e detecta sondas ligadas ao RNA

Pesquisadores da Universidade Brown, nos Estados Unidos, criaram um teste de detecção rápido e confiável para a gripe que pode ser transportado em um kit de primeiros socorros.

O dispositivo isola o RNA do vírus da gripe usando uma combinação de magnetismo e microfluídica, em seguida, ele amplifica e detecta sondas ligadas ao RNA.

A tecnologia, descrita no Journal of Molecular Diagnostics, poderia levar ao rastreamento da gripe em tempo real e é tão simples de usar quanto um iPhone.

"Nós queríamos fazer algo simples. É um dispositivo de baixo custo para a utilização no local de detecção que ajuda a verificar se é gripe, HIV, ou tuberculose", afirma o autor do projeto Anubhav Tripathi.

Fisicamente, o dispositivo que recebeu o nome SMART é essencialmente uma série de tubos, com lâmpadas nas extremidades de cada um, ligados como canais ao biochip.

Segundo os pesquisadores, SMART se distingue de outros detectores de agentes patogénicos porque é o único a utilizar uma sonda de DNA com as letras das bases que correspondem ao código na sequência alvo. Isto assegura que a sonda irá se fixar apenas sobre a cadeia de RNA específica a ser testada. A equipe de inunda a amostra com sondas, para assegurar que todas as moléculas de RNA se ligam a uma sonda.

"O dispositivo permite projetar sondas que são sensíveis e específicas", afirma Tripathi.

A abordagem cria excesso, ou seja, sondas sem RNA parceiros. No entanto, a equipe anexou as sondas a esferas magnéticas que carregam a sequência genética do RNA do vírus da gripe.

Os engenheiros, em seguida, utilizaram um magneto para arrastar lentamente os pares de RNA-sonda recolhidos no através dos tubos e, em seguida, depositam as sondas em uma lâmpada na outra extremidade. Esta convergência entre magnetismo e microfluídica serve para separar os pares de RNA-sonda de outros detritos biológicos, permitindo que os clínicos isolem as estirpes de influenza prontamente e rapidamente para análise.

"Quando ampliamos as sondas, temos a detecção da doença. Se não houver nenhuma influenza, não haverá sondas no final", conclui Tripathi.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Gripe    Influenza    Biochip    RNA    Universidade Brown    Anubhav Tripathi   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Gripe    Influenza    biochip    RNA    Universidade Brown    Anubhav Tripathi   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.