Ciência e Tecnologia
publicado em 03/06/2012 às 11h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Divulgação/ Indiana University
Nicole Martins, professora assistente de telecomunicações da Faculdade de Artes e Ciências da Indiana University
  « Anterior
Próxima »  
Nicole Martins, professora assistente de telecomunicações da Faculdade de Artes e Ciências da Indiana University

Estudo conduzido por pesquisadores dos Estados Unidos sugere que a exposição à mídia eletrônica atual faz com que meninas e meninos negros se sintam piores sobre si mesmos. Resultados apontam ainda que o efeito sobre meninos brancos é o oposto. O projeto foi liderado por Nicole Martins da Universidade Indiana, que contou com a colaboração da pesquisadora Kristen Harrison, da Universidade de Michigan.

Segundo o estudo, crianças negras assistem 10 horas a mais de televisão por semana do que as demais. "As crianças que não estão fazendo outras coisas além de assistir televisão (...), e se compararam ao que veem na tela", observa Harrison.

A presente pesquisa foi publicada online na Communication Research.

Martins e Harrison pesquisaram um grupo de cerca de 400 pré-adolescentes brancos e negros ao longo do ano. Ao invés de analisar o impacto de programas específicos ou gêneros, elas se concentraram na correlação entre o tempo em frente à TV e o impacto sobre a auto-estima.

"Independentemente do que está assistindo, se você é um homem branco, as coisas na vida são muito boas para você", diz Martins. "Você tende a estar em posições de poder, tem ocupações de prestígio, ensino médio, casas glamorosas, uma bela esposa, com poucas representações de como você trabalhou para chegar lá."

"Se você é uma menina ou uma mulher, o que você vê é que não são dadas às mulheres uma grande variação de papeis na TV", ela completa: "os papeis são bem simplistas, são quase sempre unidimensionais, focados no sucesso obtido através da aparência, não como elas fizeram ou o que pensaram ou como chegaram lá. Essa sexualização das mulheres, presumivelmente, leva a esse impacto negativo sobre as meninas."

Em relação aos jovens negros, eles são usualmente criminalizados em muitos programas, mostrados como bandidos e palhaços, sem muita variedade nos papeis que ocupam.

"Jovens negros estão recebendo a mensagem (...): não há muita coisa boa que você posa aspirar", diz Martins. A pesquisadora sugere que estes tipos de mensagens são responsáveis pelo impacto negativo na auto estima destes jovens.

"Essas crianças estão gastando tanto tempo com os meios de comunicação que não estão dando a chance de explorar outras coisas em que são boas e podem melhorar a auto-estima", conclui Martin.

Acesse aqui mais informações sobre o estudo.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Auto-esteemm    Diminuir a auto-estima    Televisão    TV    Crianças    Meninos brancos    Meninos Blak    Garota negra    Rapariga branca   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
auto-esteemm    diminuir a auto-estima    televisão    TV    crianças    meninos brancos    meninos Blak    garota negra    rapariga branca   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.