Geral
publicado em 28/05/2012 às 21h09:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Toda mulher, a partir dos 40 anos, deve realizar anualmente um exame de mamografia e procurar um mastologista, médico especializado no cuidado das mamas, para uma consulta. Este é o principal alerta da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Mama, que será lançada hoje (28), no Rio de Janeiro, pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM). De acordo com a entidade, as medidas aumentam as chances de um diagnóstico precoce e contribuem para a redução do índice de mortalidade em consequência da doença.

O câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo, atrás apenas do câncer de pulmão. De acordo com estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil deve registrar este ano 11 mil mortes por causa da doença e 51 mil novos casos devem ser diagnosticados.

A mastologista Mônica Travassos, membro da SBM e uma das responsáveis pela mobilização, destacou que o câncer de mama é o mais temido pelas brasileiras porque, além dos danos físicos, causa prejuízos psicológicos que afetam a percepção da sexualidade e a autoestima da mulher. Ela enfatizou que quando a doença é identificada em estágios iniciais, a chance de cura supera 95% dos casos.

" A mamografia é a melhor arma para o diagnóstico da doença a partir dos 40 anos de idade e para aumentar as chances de cura. Diagnosticamos os tumores com tamanhos ainda pequenos. Quanto mais cedo eles forem encontrados, mais cedo é possível combatê-los" , afirmou.

Mônica Travassos destacou que para estimular o engajamento, um hotsite no portal da SBM publicará fotos de peitos produzidas por internautas anônimas. Além disso, a fanpage da instituição no site de relacionamentos Facebook e o canal no Twitter veicularão notícias sobre o câncer de mama e servirão de meio de comunicação para a população tirar dúvidas. No portal da Sociedade Brasileira de Mastologia há uma lista com os locais onde o exame pode ser feito gratuitamente no país, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Após seis anos em tratamento contra um câncer de mama, a dona de um serviço de buffet no Rio de Janeiro, Ruth Nery, 61 anos, recebeu alta na última terça-feira (22). Após muitas idas e vindas ao Instituto Nacional do Câncer (Inca), a carioca conta que o resultado foi muito comemorado pela família e pelos amigos. Segundo Ruth, ter o diagnóstico da doença ainda em estágio inicial foi fundamental para a cura.

" Eu recebi o diagnóstico após um exame de mamografia pedido pelo meu médico e hoje eu sei como isso foi importante. Recomendo a todas as mulheres que se cuidem e façam o mesmo. Hoje posso dizer que estou curada e tenho uma vida normal" , disse.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL
   Palavras-chave:   Câncer de mama    Saúde da mulher    Mastologia    SBM    Sociedade Brasileira de Mastologia    Rio de Janeiro   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
câncer de mama    saúde da mulher    mastologia    SBM    Sociedade Brasileira de Mastologia    Rio de Janeiro   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.