Ciência e Tecnologia
publicado em 27/05/2012 às 11h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Cientistas da Espanha desenvolveram um dispositivo capaz de, em um futuro próximo, diminuir de forma significativa a emissão de poluentes na atmosfera e, consequentemente, o número de casos de doenças relacionadas à poluição. Pesquisadores da Universidade de Jaume I relatam o desenvolvimento do que pode ser o futuro das energias renováveis. A equipe utilizou a nanotecnologia para criar um dispositivo - com materiais semicondutores -, que, em meio aquoso, consegue gerar hidrogênio de forma autônoma, utilizando unicamente a luz solar.

De acordo com informações divulgadas no site português Ciência Hoje, a tecnologia, que recebe o nome de " fotossíntese artificial" é inspirada na fotossíntese que ocorre na natureza. A produção de hidrogênio de forma eficiente utilizando materiais semicondutores e luz solar é um desafio crucial para tornar realidade uma mudança do modelo energético que se caracterize pela sustentabilidade, baseando-se em recursos inesgotáveis, na respeito ao meio ambiente e à saúde humana.

No entanto, o rendimento energético do dispositivo ainda não é suficiente para se pensar em sua comercialização. Atualmente, os cientistas exploram formas de melhorar a eficácia do dispositivo e provar que a tecnologia se configura como uma alternativa viável.

O processo

O hidrogênio é um elemento abundante na superfície da Terra, principalmente na sua forma combinada com oxigênio, ou seja, água (H2O). A molécula de hidrogênio (H2) contém muita energia que pode ser libertada quando se queima, devido à sua reação com o oxigênio atmosférico, sendo o único resíduo do processo de combustão a água.

Para converter a água em combustível (H2) tem de se 'partir' a molécula H2O, separando os seus componentes. Para que o processo se realize se forma renovável (sem se recorrer a reservas fósseis) é necessário utilizar um dispositivo que empregue a energia da radiação solar sem nenhuma outra ajuda, que produza as reações químicas que consigam partir a água e formar hidrogênio, tal como acontece nas folhas das plantas.

O dispositivo é submerso numa solução aquosa e quando se ilumina com uma fonte de luz, produz bolhas de hidrogênio. Os investigadores utilizaram uma solução com um agente oxidante e estudaram a evolução do hidrogênio produzido pelos fotões.

O desafio mais importante é compreender os processos físico-químicos que se produzem no material semicondutor e na sua reação com o meio aquoso, isto para racionalizar o processo de otimização do dispositivo.

Acesse aqui mais informações sobre o projeto.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Fotossíntese    Fotossíntese artificial    Energias renováveis    Tecnologia    Nanotecnologia    água    H2O    Hidrogênio    Oxigênio      
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
fotossíntese    fotossíntese artificial    energias renováveis    tecnologia    nanotecnologia    água    H2O    hidrogênio    oxigênio       
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.