Saúde Pública
publicado em 26/04/2012 às 17h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: SXC
Pesquisadores britânicos afirmam que não existem evidências convincentes de que o uso de celulares causa efeitos adversos à saúde humana
  « Anterior
Próxima »  
Pesquisadores britânicos afirmam que não existem evidências convincentes de que o uso de celulares causa efeitos adversos à saúde humana

Não existem evidências convincentes de que o uso de telefones celulares causa efeitos adversos à saúde humana. É o que sugere um relatório divulgado pela Health Protection Agency, do Reino Unido.

Os cientistas examinaram centenas de estudos que mediram a exposição ao telefone celular e não encontraram ligações conclusivas com o risco de câncer, função cerebral ou infertilidade.

No entanto, eles afirmam que o monitoramento deve continuar porque os efeitos em longo prazo ainda não são bem conhecidos.

O trabalho, que atualiza uma revisão anterior de 2003, considerou evidências científicas sobre a exposição a campos eletromagnéticos de radiofrequência (RF) que são produzidos por tecnologias de telefonia móvel e outros dispositivos sem fio, como Wi-Fi, bem como transmissores de televisão e rádio.

O grupo de especialistas revisou muitas pesquisas significativas sobre os efeitos da exposição a baixos níveis de radiofrequência.

Eles concluíram que pessoas que não foram expostas acima dos níveis de recomendação do Reino Unido não apresentaram quaisquer sintomas detectáveis.

A equipe também descobriu que não havia nenhuma evidência de que a exposição causou tumores cerebrais ou outros tipos de câncer, ou danos à fertilidade ou saúde cardiovascular.

No entanto, eles ressaltam que muito pouco se sabe sobre os riscos em longo prazo porque o uso de telefones celulares em massa é relativamente recente.

"Mesmo que os resultados sejam relativamente tranquilizadores, acredito que é importante manter um olho sobre as taxas de tumores cerebrais e outros tipos de câncer. Não se pode saber quais são as consequências em longo prazo ainda", afirma o líder do trabalho Anthony Swerdlow.

Os especialistas dizem que mais trabalho é necessário para avaliar o efeito de campos de radiofrequência sobre a atividade cerebral e problemas comportamentais de crianças.

Eles também ressaltam a necessidade de mais investigações sobre os efeitos das novas tecnologias que emitem radiofrequência, como medidores inteligentes em residências e scanners de segurança de aeroportos.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Telefone celular    efeitos adversos    radiofrequência    Health Protection Agency    Anthony Swerdlow   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.