Ciência e Tecnologia
publicado em 13/04/2012 às 12h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Troemel Lab/UC San Diego
Proteínas verdes fluorescentes representam a expressão de genes imunes do intestino
  « Anterior
Próxima »  
Proteínas verdes fluorescentes representam a expressão de genes imunes do intestino

Os mecanismos específicos pelos quais os seres humanos e outros animais são capazes de diferenciar micróbios causadores de doenças de micróbios inócuos têm sido um mistério para cientistas. No entanto, estudo realizado com lombrigas por biólogos da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, identificou pistas importantes que podem finalmente esclarecer a questão

No artigo publicado no jornal online Cell Host & Microbe, pesquisadores relatam que as células intestinais da lombriga C. elegans, que possuem estrutura semelhante à dos humanos, internalizam as toxinas bacterianas que inativam vários processos infecciosos. Esta ação, em seguida, desencadeia uma resposta imune que resulta na montagem imediata de um ataque contra os micróbios causadores de doenças.

"O intestino humano é repleto de trilhões de bactérias, a maioria das quais são inócuas, ou até mesmo benéficas", diz a líder do estudo Emily Troemel, que continua: "no entanto, por vezes, os micróbios causam doenças, tal como ocorre em intoxicação alimentar.

O estudo realizado pela Universidade da Califórnia, além de dois outros - liderados por Frederick Ausubel do Massachusetts General Hospital e Ruvkun Gary da Harvard Medical School - publicados na Cell and Cell Host & Microbe, mostram que a forma como as células animais detectam um ataque por envenenamento ou por bactéria causadora de doenças se dá pelo monitoramento de suas funções. Os cientistas descobriram que se as células detectarem um déficit em suas funções, elas desencadeiam uma variedade de respostas antibacterianas ou antitoxinas contra os invasores.

UCSanDiego

A equipe de Troemel encontrou nos experimentos que um sistema genético particular, a via ZIP-2 de vigilância, foi utilizada pela lombriga na detecção de uma infecção causada pela bactéria Pseudomonas aeruginosa . Os biólogos também descobriram que uma toxina específica na bactéria - exotoxina A - bloqueia a síntese de proteína no intestino do verme.

Surpreendentemente, os pesquisadores concluem que este bloqueio leva a um aumento dos níveis de proteína do fator de transcrição ZIP-2 para induzir a expressão de genes de defesa. Assim, uma forma comum de ataque de patógenos age para ligar a defesa do hospedeiro, permitindo a discriminação de patógenos de micróbios inócuos.

Acesse aqui mais informações sobre o estudo.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:      Células intestinais    Diesease    Causadores de doenças    Invasores inócuos    Lombrigas    Lombriga C. elegans   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
    células intestinais    Diesease    causadores de doenças    invasores inócuos    lombrigas    lombriga C. elegans   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.