Geral
publicado em 06/04/2012 às 15h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Gov.Amazonas/SEMA
População ribeirinha durante pesca de pirarucu no rio Amazonas
  « Anterior
Próxima »  
População ribeirinha durante pesca de pirarucu no rio Amazonas

Nos últimos 60 anos, mais de 900 pessoas morreram envenenadas por consumir peixes contaminados por mercúrio na Baía de Minamata, no Japão. O metal líquido era proveniente de uma fábrica de PVC. Esse episódio ficou conhecido como o Desastre de Minamata. Temia-se que o mesmo pudesse acontecer no Brasil devido à alta quantidade de garimpos na região da Amazônia, uma vez que o mercúrio é usado na extração de ouro. Interessado em descobrir se o temor fazia sentido, o professor José Dórea, da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (Unb), iniciou uma série de pesquisas sobre o assunto, há cerca de 20 anos. E descobriu que não há sintomas de intoxicação.

Para verificar o teor de mercúrio nas populações locais, a equipe de Dórea estudou a concentração do metal no cabelo de mães e crianças da Amazônia. Os fios funcionam como um marcador do consumo de quaisquer alimentos, uma espécie de retrato metabólico do organismo de cada pessoa. " Como o cabelo nasce dentro do corpo e sai, ele registra o que é consumido e depois não sofre alterações. O mesmo acontece com as unhas" , explicou o professor Dórea.

Ele afirma que as populações ribeirinhas e indígenas são expostas à presença do mercúrio, principalmente por causa do consumo de peixes contaminados, mas não apresentam sintomas clínicos de intoxicação. Os níveis de mercúrio encontrados nos peixes dos rios amazônicos variaram de acordo com a espécie, a sazonalidade dos rios e os níveis da cadeia alimentar, mas é possível afirmar que o garimpo representa uma porcentagem pouco significativa da presença do metal nos peixes.

"A comunidade local pode inclusive sofrer consequências se abandonar o consumo tradicional do peixe" , disse o professor. De acordo com Dórea, as circunstâncias de vida do povo japonês na época do pós-guerra potencializaram os problemas de intoxicação por mercúrio. Em Miamata, as pessoas afetadas sofriam convulsões severas, surtos de psicose, coma e óbito.

Reação da comunidade acadêmica

Durante anos, José Dórea foi contestado pela comunidade acadêmica e acusado de defender garimpeiros. Hoje, ele é um dos mais renomados pesquisadores da área de Biomedicina com cerca de 200 artigos publicados em revistas internacionais indexadas como a Journal Medical College of Nutrition, a Environmental Research e a Environmental Health Perspective.

" A ciência se faz com mente aberta e capacidade" . Dórea defendeu que a pesquisa pode ser feita de maneira simples. Para realizar boa parte dos estudos na Amazônia, ele precisou somente de balanças para pesar peixes e crianças e uma tesoura para cortar os cabelos.

" Os maiores instrumentos de um cientista são o seu intelecto e a sua integridade. Não é preciso ter aparelhos sofisticados para se fazer boa ciência" , disse.

A sequência das pesquisas de Dórea pretende verificar a influência da presença do mercúrio encontrado em vacinas. " Nos países desenvolvidos já não se usa o mercúrio em vacinas" , afirmou.

Fonte: UnB AGÊNCIA
   Palavras-chave:   Mercúrio    Peixes    Amazônia    Ribeireinhos    Contaminação    UnB   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
mercúrio    peixes    Amazônia    ribeireinhos    contaminação    UnB   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.