Geral
publicado em 20/03/2012 às 18h25:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

A curcumina, composto encontrado no açafrão, é eficaz na prevenção do acúmulo de uma classe de proteína envolvida na doença de Parkinson, de acordo com pesquisadores da Universidade Estadual de Michigan, nos Estados Unidos.

Os resultados sugerem que o composto se une às proteínas alfa-sinucleína para impedir a ligação com outras proteínas.

Basir Ahmad e seus colegas demonstraram em estudos anteriores que a torção das proteínas alfa-sinucleína é a causa da aglomeração que representa o primeiro passo de doenças neurológicas como o Parkinson.

O novo estudo de Ahmad, que aparece no Journal of Biological Chemistry, mostra que a curcumina pode ajudar a evitar essa aglomeração. "Nossa pesquisa mostra que a curcumina se liga fortemente à alfa-sinucleína e previne a agregação em temperatura corporal", observa a coautora da pesquisa, Lisa Lapidus.

A equipe utilizou laser para estudar as proteínas, cadeias de aminoácidos que fazem parte do trabalho nas células. Os cientistas compreendem a estrutura da alfa-sinucleína, mas não sabem como ela é construída, um processo conhecido como dobradura.

Para esclarecer esse processo, os pesquisadores correlacionaram a velocidade com que a proteína se dobra com sua tendência para aglomeração ou ligação com outras proteínas.

Quando a curcumina se liga à alfa-sinucleína, ela não só impede a aglomeração, mas também eleva a dobradura da proteína ou a taxa de reconfiguração. Aumentando a velocidade, o composto retira a proteína de uma zona de velocidade perigosa que permite evitar a aglutinação com outras proteínas.

Encontrar um composto que pode corrigir uma proteína quando ele começa a se dobrar de forma errada pode levar os cientistas a identificar medicamentos para tratar certas doenças.

"A utilidade da curcumina como uma droga real pode ser muito limitada, uma vez que ela não atinge o cérebro diretamente para atuar na dobra das proteínas. Mas este tipo de estudo abre portas para o desenvolvimento de tratamentos eficazes com novas drogas que podem usar o composto como base", afirma a pesquisadora.

Para ler este estudo na íntegra (em inglês), clique aqui.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Parkinson    Curcumina    Alfa-sinucleína    Universidade Estadual de Michigan    Basir Ahmad    Lisa Lapidus   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Parkinson    curcumina    alfa-sinucleína    Universidade Estadual de Michigan    Basir Ahmad    Lisa Lapidus   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.