Ciência e Tecnologia
publicado em 14/10/2009 às 17h30:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Cientistas do Whittemore Peterson Institute (WPI) descobriram uma potencial ligação retroviral para a síndrome da fadiga crônica, conhecida como SFC, uma doença debilitante que afeta milhões de pessoas. Segundo a diretora de pesquisa da WPI e líder da equipe envolvida no estudo, Judy Mikovits, agora existem evidências de que um retrovírus chamado XMRV está frequentemente presente no sangue de pacientes com SFC. Este resultado pode ser um passo importante na descoberta de opções de tratamento para milhões de pacientes. No entanto, a descoberta mostra que, apesar da associação, não existem provas de que o retrovírus seja a causa direta da sídrome.

Os cientistas fornecem uma nova hipótese para um link entre esses elementos. O vírus XMRV foi identificado pela primeira vez em homens que tinham um defeito específico no sistema imune, o que reduziu capacidade de combater vírus infecções.

A uniformização de um defeito no sistema imunológico em pacientes com câncer de próstata e SFC levaram os pesquisadores a procurarem o vírus em amostras de seu sangue. Neste estudo, os cientistas identificaram o XMRV no sangue de 68 dos 101 (67%) pacientes com o diagnóstico da síndrome. Em contrapartida, eles descobriram que oito entre as 218 pessoas saudáveis (3,7%) que participaram da amostragem tinham traços do DNA do retrovírus. A equipe de pesquisa não só descobriu que as células do sangue continham o XMRV, mas também expressaram proteínas XMRV em níveis elevados e produziram partículas virais infecciosas. Um teste clinicamente validado para detecção de anticorpos XMRV no plasma dos pacientes em desenvolvimento.

Estes resultados também foram apoiadas pela observação das partículas de retrovírus em amostras de pacientes, quando examinados utilizando microscopia eletrônica de transmissão. Os dados demonstram o primeiro isolamento direto de XMRV infecciosos em seres humanos.

Retrovírus como XMRV também foram mostrados para ativar um número de outros vírus latentes. Isso poderia explicar por que tantos vírus diferentes, tais como o vírus Epstein-Barr, de causalidade com linfoma de Burkitt e outros na década de 1970, têm sido associados com o SFC.

"A evidência científica de um retrovírus relacionado a SFC abre um novo mundo de possibilidades para muitas pessoas", disse Annette Whittemore, fundadora e presidente do WPI . " Os cientistas podem agora começar o importante trabalho de traduzir esta descoberta em cuidados médicos para os indivíduos com doenças relacionadas XMRV" .

Dan Peterson, diretor médico do Whittemore Peterson Institute acrescentou: " Estou animado com a possibilidade de proporcionar aos pacientes, que são XMRV positivos, um diagnóstico definitivo" .

Fonte: NATIONAL CANCER INSTITUTE
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
XMRV    ligação retroviral    síndrome da fadiga crônica    SFC    Whittemore Peterson Institute    Judy Mikovits    Annette Whittemore    Dan Peterson   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.