Profissão Saúde
publicado em 07/02/2012 às 16h19:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: SIMERS
Paulo de Argollo Mendes, presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers)
  « Anterior
Próxima »  
Paulo de Argollo Mendes, presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers)

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) protocolou pedido de interdição ética da Fundação de Atendimento Socioeducativa (Fase) pelo Conselho Regional de Medicina (Cremers). A medida, caso seja determinada pelo Conselho, impedirá que qualquer médico atue daqui para frente na instituição, diante das denúncias e declarações de autoridades estaduais e federais atestando a ausência de condições mínimas ao atendimento de pacientes, compatíveis com valores éticos e legais do exercício da profissão. O Simers pediu urgência na decisão do Conselho.

O presidente do Sindicato, Paulo de Argollo Mendes, cobrou, em entrevista coletiva à imprensa na tarde dessa segunda (6), ações urgentes dos órgãos estaduais e do governo federal, além da própria justiça, para garantir o acesso a tratamento e internação e que se preservem os direitos humanos. " O problema é do Estado, que só não resolve porque não quer. Basta que o governador Tarso Genro ordene as ações" , apontou Argollo.

Ele apontou que há 200 leitos fechados no Hospital Espírita, que poderia inclusive ter um ambulatório para cuidar dos pacientes, antes ou depois de internações. O Simers denunciou ainda o fechamento do único serviço médico que funcionava no Centro de Saúde Santa Marta, pertencente ao município de Porto Alegre e que atendia menores na área psiquiátrica oriundos da Fase.

"É muito grave o que está ocorrendo lá, o que gera inclusive protestos e indignação das autoridades. Mas se trata de agir rapidamente, até porque estamos diante de crianças e adolescentes" , reforça o dirigente médico, apontando a necessidade de garantia de estrutura de saúde adequada.

Na área prisional, o sindicato lembra que um convênio do próprio estado com o Hospital Vila Nova, em Porto Alegre, aporta desde cuidados ambulatoriais, dentro das casas carcerárias, até internações. No hospital, foi montada uma ala exclusiva aos pacientes apenados, com leitos específicos para tratar dependência química e outros transtornos. " O que não podemos aceitar é que a caça aos culpados obscureça uma inércia e negligência de sucessivos governos com o tratamento de menores" , preveniu o dirigente.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Sindicato Médico    Rio Grande do Sul    Simers    Fase    Cremers    Interdição    Atendimento    ética   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Sindicato Médico    Rio Grande do Sul    Simers    Fase    Cremers    interdição    atendimento    ética   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.