Geral
publicado em 01/02/2012 às 08h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Phil Jones/GHSU
Da direita para a esquerda, Dra. Supriya Sridhar, Dr. Rudolf Lucas e Aluya Oseghale, em meio ao processo de pesquisa
  « Anterior
Próxima »  
Da direita para a esquerda, Dra. Supriya Sridhar, Dr. Rudolf Lucas e Aluya Oseghale, em meio ao processo de pesquisa

Em estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences, pesquisadores dos Estados Unidos relatam ter encontrado uma forma de impedir mortes resultantes do tratamento da pneumonia.

Antibióticos são eficazes em matar o pneumococo, que causa cerca de 50% das pneumonias, no entanto, conforme a bactéria morre, ela libera toxinas potencialmente letais. Os resultados mostram que a adição de um agonista que imita a ação do hormônio liberador do hormônio de crescimento pode reduzir o risco de morte após a liberação da toxina.

Os problemas começam quando uma bactéria que causa pneumonia, neste caso pneumococo, é inalada. Os sintomas incluem o acúmulo de muco, tosse, febre, calafrios e falta de ar. Antibióticos são o tratamento padrão para matar a infecção.

Um resultado ruim da morte da bactéria é a liberação da pneumolisina, uma toxina que pode provocar a formação de buracos nas paredes dos pequenos sacos de ar e vasos sanguíneos nos pulmões. O resultado é que os fluidos, o sangue e outros produtos começam a ocupar vias nos sacos de ar que eram destinadas para a troca de oxigênio.

Pneumolisina naturalmente se liga ao colesterol, um componente de todas as membranas celulares, incluindo células que revestem os sacos de ar, ou alvéolos. Uma vez ligado à membrana, a toxina produz complexos que fazem furos nas membranas dos sacos de ar, antes de escapar para causar danos semelhantes aos capilares próximos.

Enquanto a proximidade de capilares normalmente permite aos sacos de ar para repor o sangue com oxigênio e remover o dióxido de carbono, os buracos agora permitem que fluidos e células dos capilares penetrem nos sacos de ar, bem como no espaço entre eles.

Para piorar a situação, a toxina também bloqueia um sistema de proteção nos pulmões que absorve cálcio e ajuda a remover fluidos. Dentro de alguns dias, o paciente está novamente em perigo. "Esses pacientes estão sendo tratados com antibióticos e terapia intensiva e agressiva e eles podem morrer mesmo assim", explica o pesquisador Rudolf Lucas, da Georgia Health Sciences University, nos Estados Unidos.

O autor correspondente da pesquisa, Andrew V. Schally, desenvolveu o agonista que pode um dia fazer a diferença para estes pacientes. O agonista já foi testado e mostrou ser capaz de ajudar a proteger o músculo cardíaco logo após um ataque cardíaco.

Agora, os cientistas detectaram receptores para o hormônio liberador do hormônio de crescimento em células que revestem os alvéolos.

Quando eles aplicaram o agonista do hormônio em um modelo animal de pneumonia, assim como células pulmonares humanas em cultura, o vazamento foi significativamente reduzido e a absorção benéfica de sódio foi restaurada.

Por outro lado, quando eles aplicaram um antagonista do hormônio - para bloquear a sua ação - as células do pulmão apresentaram vazamento mesmo sem exposição à toxina, indicando ainda o papel aparente do hormônio para proteger o revestimento dos sacos de ar e capilares.

"Este é um problema agudo, o acúmulo perigoso de líquido no pulmão ocorre dentro de dias em pacientes", afirma Lucas, que antecipa que o agonista, ou um composto com uma função similar, poderia um dia ser administrado a pacientes nos primeiros dias críticos para evitar o risco de morte após a liberação da toxina.

Como resultado das descobertas, novos estudos estão sendo planejados sobre o uso de agonistas do hormônio liberador do hormônio de crescimento para evitar edema em pacientes com pneumonia bacterianas.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Pneumonia    pneumococo    toxina    hormônio liberador do hormônio de crescimento    pneumolisina    Georgia Health Sciences University    Rudolf Lucas   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.