Artigo
publicado em 24/01/2012 às 10h39:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Ralcoh
Marcos Antônio Natividade é membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia e da Associação Médica Brasileira de Oxidologia (AMBO).
  « Anterior
Próxima »  
Marcos Antônio Natividade é membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia e da Associação Médica Brasileira de Oxidologia (AMBO).

Com a correria diária, é difícil conter o stress e o cansaço. No entanto, é importante lembrar que, quando o stress se sobrepõe aos períodos de descanso, podem ocorrer deficiências hormonais na glândula supra-renal. Com isto, ficamos suscetíveis às infecções e apresentamos inicialmente a Fadiga Adrenal.

Descoberta gradativamente há 10 anos, a Fadiga Adrenal é considerada atualmente a síndrome do século XXI. Caracteriza-se pelo cansaço em excesso, aquele cansaço que você dorme mais cedo e ele não vai embora, você viaja no feriado prolongado e volta pior do que estava ou você tira férias e duas semanas depois já está muito cansado.

Esta disfunção ocorre porque a glândula supra-renal está funcionando mal e não está secretando os hormônios que deveria. A supra-renal é responsável pela secreção da hidrocortisona, da aldosterona e do DHEA. Ela é muito importante porque é a primeira a ser atingida pelo stress e também por nos defender dos traumas físicos, incluindo frio, calor e fome.

Além do cansaço excessivo, os sintomas são: infecções e gripes frequentes, ansiedade, irritabilidade, alterações do sono, baixa libido e ereções não mantidas, tonturas, baixa concentração e memória, apatia, compulsão por doces, salgados, cafeinados e frituras, depressão e medo sem causa aparente.

Pouco conhecida, a Fadiga Adrenal muitas vezes é confundida com depressão, pânico, fibromialgia, labirintite, anemia, palpitações e outras alterações. Quando diagnosticada, deve ser feita uma reposição com hormônios biodênticos, que são iguais aos secretados pela glândula supra-renal. Se não tratada, pode desencadear doenças como obesidade, diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e osteoporose.

Excesso de trabalho, má alimentação, sedentarismo e aborrecimentos são causas que podem induzir a fadiga. O modo de evitar é levar uma vida equilibrada, comer castanhas, verduras, frutas, alimentos integrais e peixes. Fazer atividade física três vezes por semana, descansar no mínimo dois finais de semana por mês e tirar trinta dias de férias por ano. Isso é fundamental para se viver com saúde e bem-estar.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Fadiga Adrenal    Stress    Cansaço    Deficiências hormonais    Síndrome    Século XXI    Marcos Antônio Natividade    Cardiologia   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Fadiga Adrenal    stress    cansaço    deficiências hormonais    síndrome    século XXI    Marcos Antônio Natividade    cardiologia   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.