Geral
publicado em 24/09/2009 às 16h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Um estudo internacional apresentado durante o Congresso da Sociedade Europeia de Câncer, ESMO/ECCO, em Berlim, Alemanha, mostra que os pacientes com câncer cerebral avançado (glioblastoma) tratados com o medicamento Avastin (bevacizumabe), associado ou não a quimioterapia, apresentaram uma melhora nas funções cognitivas e tiveram a doença estabilizada, além do aumento em seis meses na sobrevida, sem a progressão da doença, já demonstrados em estudos anteriores.

As funções neurocognitivas compreendem a capacidade de pensar, raciocinar e recordar. Sua perda, consequência frequente desse tipo de câncer, pode ser angustiante, tanto para o paciente como para os familiares.

"Nos pacientes com glioblastoma recidivado, estabilizar as funções neurocognitivas e reduzir a dependência dos corticosteroides pode melhorar sua vida cotidiana, um objetivo-chave do tratamento", afirma o professor James Vredenburgh, Diretor-Médico do Serviço Clínico de Adultos do Duke University Medical Center de Durham. "Os resultados desta análise sugerem que o tratamento com Avastin (bevacizumabe), que já havia demonstrado benefícios na sobrevida sem a progressão da doença, também pode ter um impacto positivo na vida diária dos pacientes. Para médicos, pacientes e cuidadores é uma grande notícia."

O tratamento com Avastin (bevacizumabe) também demonstrou um menor uso de corticosteroides em alguns pacientes. Em muitos pacientes com glioblastoma, os corticosteroides possuem um importante papel no controle dos sintomas, porém podem ter efeitos indesejados, como aumento do peso, insônia e mudanças comportamentais. A redução da dose dos corticosteroides significa para o médico possibilidade de redução dos efeitos colaterais da sua administração prolongada.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os gliomas representam a maioria dos tumores cerebrais em adultos (70%) e, destes, o glioblastoma é o tipo histológico mais frequente e maligno. A cada ano, são diagnosticados três casos novos para cada 100 mil pessoas. No Brasil, não há dados oficiais sobre a incidência desse tipo de câncer.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Câncer    Glioblastoma    ESMO/ECCO    Avastin    James Vredenburgh    Duke University   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Câncer    glioblastoma    ESMO/ECCO    Avastin    James Vredenburgh    Duke University   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.