Geral
publicado em 04/01/2012 às 07h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Istockphoto
Bingo é frequentemente utilizado em lares e centros para idosos como uma atividade social, e ser socialmente ativo ajuda a manter a mente saudável
  « Anterior
Próxima »  
Bingo é frequentemente utilizado em lares e centros para idosos como uma atividade social, e ser socialmente ativo ajuda a manter a mente saudável

Pesquisadores da Case Western Reserve University, nos Estados Unidos, descobriram que o jogo de bingo impulsiona o pensamento e a percepção visual de pessoas com dificuldades cognitivas derivadas de doenças como Alzheimer e Parkinson.

Os resultados sugerem que a atividade pode ser usada como uma intervenção para melhorar o desempenho cognitivo de pessoas com doenças neurológicas.

Enquanto as pessoas envelhecem, elas começam a perder a sensibilidade de perceber contrastes. Segundo os pesquisadores, isso é exacerbado em pessoas com demência. Bingo é frequentemente utilizado em lares e centros para idosos como uma atividade social, e ser socialmente ativo ajuda a manter a mente saudável.

No entanto, pouco se sabe sobre como problemas de percepção visual, comuns em jogadores mais velhos, afetam a maneira como essas pessoas pensam e jogam.

A equipe de pesquisa, liderada por Grover C. Gilmore, testou cartelas de bingo de diferentes tamanhos, contrastes e complexidades visuais para descobrir problemas como problemas de percepção visual impactam a função cognitiva entre os participantes do estudo.

Quando os participantes do estudo jogaram bingo em cartelas geradas por computador que foram manipuladas para o tamanho, brilho e contraste, os pesquisadores puderam comparar o desempenho entre os diferentes grupos etários e de saúde.

Com algumas alterações de contraste e tamanho nas cartelas, os pesquisadores relataram melhora nas performances. Aqueles com demência leve podiam jogar no mesmo nível dos participantes saudáveis. Pouca mudança foi relatada para pessoas com demência mais grave.

Para os indivíduos com Parkinson, a condução é afetada por baixos contrastes, como demonstrado em situações simuladas em que é difícil distinguir entre objetos com cores e formatos similares.

A melhora do contraste está entre intervenções conhecidas como Intervenções de Desempenho Apoiado Externamente (ESPI). Os pesquisadores afirmam que essas intervenções permitem que as pessoas com demência e outros com déficit de percepção visual vivam de forma mais independente, realizem tarefas diárias e aproveitem a vida com prazer.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Bingo    doenças neurológicas    percepção visual    Alzheimer    Parkinson    Case Western Reserve University    Grover C. Gilmore   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.