Profissão Saúde
publicado em 29/12/2011 às 08h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Toronto University
Blair Bigham, líder da pesquisa
  « Anterior
Próxima »  
Blair Bigham, líder da pesquisa

Pesquisadores do Canadá descobriram que a maioria dos profissionais do Serviço Médico de Emergência (EMS) são vítimas de abuso no ambiente de trabalho.

Os resultados mostraram que mais de dois terços dos profissionais sofrem violência e que a intimidação verbal de paramédicos por pacientes, amigos, parentes, colegas de trabalho ou espectadores, foi mais comumente relatada, seguida de abuso físico.

"Os profissionais de EMS podem experimentar violência no local de trabalho porque atuam em ambientes imprevisíveis e próximos a pessoas em crise", afirma o investigador principal, Blair Bigham.

Para o estudo, os pesquisadores do S. Michael's Hospital recrutaram paramédicos de Ontário e Nova Escócia que participavam de um seminário de educação em 2011 e tiveram 90% de resposta. Os participantes foram perguntados se eles tinham sido vítimas de diversas formas de violência direta nos últimos 12 meses. Dos 1.381 paramédicos pesquisados, 70% eram do sexo masculino com idade média de 34 e 10 anos de experiência no EMS.

Os resultados mostraram que:

- abuso verbal foi relatado por 67,4% dos trabalhadores de EMS pesquisados, praticado por pacientes (62,9%), família do paciente ou amigos (36,4%), colegas de trabalho (20,8%) e espectadores (5,8%);

- intimidação foi relatada por 41,5%, sendo cometida, na maioria das vezes, pelos próprios pacientes (37,8 por cento);

- abuso físico relatado por 26,1% foi praticado em mais de 90% dos casos também pelos pacientes;

- assédio sexual foi relatado por 13,6% dos participantes e foi cometido pelos pacientes em 64,7% das vezes, pela família do paciente ou amigos 18,4%, colegas de trabalho, 41,2% e espectadores em 8,8% das vezes;

- agressão sexual foi relatada por 2,7% dos paramédicos, praticada, na maioria das vezes, também pelos pacientes (88,9%).

"Relatórios e registros de segurança do trabalho têm destacado casos de abuso verbal, físico e sexual, mas até agora, tem havido pouca pesquisa científica. Mais pesquisas são necessárias para compreender o impacto dessa violência no trabalho", conclui Bigham.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Paramédicos    serviço médico de emergência    abuso    intimidação    S. Michael's Hospital    Blair Bigham   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.