Ciência e Tecnologia
publicado em 19/12/2011 às 09h10:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Pesquisadores do Loyola University Medical Center, nos Estados Unidos, desenvolvem método para prever se um determinado antidepressivo será eficaz para tratar um paciente.

O método envolve um exame de sangue de uma proteína chamada fator de crescimento endotelial vascular (VEGF). O estudo descobriu que, entre os pacientes deprimidos que tiveram níveis maiores do que os normais de VEGF no sangue, mais de 85% tiveram alívio parcial ou total da depressão depois de tomar o escitalopram (Lexapro). Em comparação, menos de 10% dos pacientes deprimidos que tinham níveis baixos de VEGF responderam à droga.

"Esta seria a primeira vez em que teríamos um indicador de quão bem um paciente responderia a um antidepressivo", disse Angelos Halaris.

Cerca de 60% dos pacientes com depressão não respondem totalmente à primeira medicação prescrita. Consequentemente, os médicos geralmente devem prescrever medicamentos diferentes até encontrar um que funcione. "Seria muito benéfico para os nossos pacientes se pudéssemos prever de antemão se um determinado medicamento seria eficaz para um determinado paciente", disse Halaris.

O estudo envolveu 35 pacientes que tomaram escitalopram para tratar o transtorno depressivo maior. O escitalopram pertence a uma classe de antidepressivos chamados inibidores seletivos da recaptação da serotonina (SSRIs). Outros SSRIs comuns são o Prozac, o Paxil e o Zoloft.

Os cientistas não estão certos sobre o motivo de os SSRIs funcionarem em alguns pacientes, mas não em outros. Um mecanismo possível é que os SSRIs ajudem a restaurar o equilíbrio químico no cérebro. Recentemente, alguns cientistas propuseram um segundo mecanismo possível, chamado neurogênese - os SSRIs ajudam a regenerar as células cerebrais em partes específicas do cérebro que se atrofiaram nos pacientes deprimidos.

O estudo apoia a teoria de neurogênese. Parece que o escitalopram, o SSRI usado no estudo, dá às células do cérebro que se tornaram inativas um impulso inicial. Esta regeneração é alimentada pelo VEGF. No cérebro, o VEGF estimula o crescimento de vasos sanguíneos e trabalha de outras maneiras de manter as células cerebrais saudáveis e ativas.

Parece que nos pacientes com níveis mais elevados de VEGF, houve mais de regeneração, ajudando a reduzir a depressão. Por outro lado, em pacientes com níveis mais baixos de VEGF, houve menos regeneração de células cerebrais e menos alívio da depressão.

Se a descoberta for confirmada por outros estudos, poderá levar a um exame de sangue que ajudaria os médicos a fazer um tratamento sob medida. Se, por exemplo, um paciente tivesse níveis baixos de VEGF, o médico poderia pular os SSRIs e tentar classes alternativas de antidepressivos, como a bupropiona, ou terapias alternativas, como a psicoterapia ou a estimulação magnética transcraniana (TMG). Estes tratamentos estão disponíveis no Loyola University Medical Center.

Atualmente, um teste de sangue VEGF seria muito caro se fosse realizado para um paciente. Mas o custo provável diminuiria significativamente se o teste de VEGF se tornasse amplamente utilizado, disse Halaris.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
exame de sangue    antidepressivo    fator de crescimento endotelial vascular    escitalopram    Lexapro    recaptação da serotonina   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.