Geral
publicado em 08/12/2011 às 14h30:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Baylor College of Medicine/BCM
Processo de pesquisa sendo conduzido pelo Dr. Robert Atmar na Baylor College of Medicine
  « Anterior
Próxima »  
Processo de pesquisa sendo conduzido pelo Dr. Robert Atmar na Baylor College of Medicine

Vacina experimental contra o norovírus demonstra proteção significativa contra a infecção viral e doenças gastrointestinais associadas ao vírus.

O estudo, liderado por pesquisadores do Baylor College of Medicine, é o primeiro a mostrar a eficácia da vacina e abre portas para ajudar a reduzir sintomas como vômitos e diarréia.

Os resultados mostraram que as frequências de doenças e infecções virais foram menores entre os participantes da pesquisa que receberam a vacina do que aqueles que receberam um placebo ou medicamento inativo.

Para o estudo, 90 pessoas saudáveis com idades entre 18 a 50 anos em quatro locais em todo os Estados Unidos receberam a vacina administrada como um pó nasal ou um placebo em duas doses. Oitenta e quatro deles foram expostos ao norovírus, aproximadamente, três semanas após a segunda vacinação. Três semanas deram tempo ao sistema imunológico para responder à vacina.

Apenas 37% daqueles que receberam a vacina desenvolveram os sintomas do estômago, enquanto 69% daqueles que receberam placebo desenvolveram a doença. Aqueles que receberam a vacina e adoeceram, tiveram sintomas menos graves.

Daqueles que receberam a vacina, 61% foram infectados com o vírus em comparação com 82% daqueles que receberam o placebo. O principal objetivo da vacinação é reduzir a doença concomitante, doença especialmente grave, associada à infecção pelo norovírus. Onze indivíduos que receberam a vacina foram positivos para infecção, mas não apresentavam sintomas da doença.

Norovírus não podem ser cultivados em laboratório. Para contornar esse problema, os pesquisadores fizeram a vacina de partículas semelhantes a vírus que não podem causar infecção, mas que ativam o sistema imunológico para lutar contra a doença.

"A vacina induziu uma resposta imune significativa em 70% das pessoas que a receberam e ofereceu proteção contra ambas às doenças e infecções associadas. Em comparação com os que receberam placebo, aquelas que receberam a vacina não desenvolveram gastroenterite, mesmo se foram infectadas pelo vírus", afirma o principal autor, Robert Atmar.

Os pesquisadores vão agora estudar se fornecer a vacina como uma injeção vai melhorar o percentual de pessoas que respondem a ela. Eles também irão olhar o quão bem a vacina pode proteger contra as cepas que são menos intimamente relacionadas com a estirpe da vacina atual.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Norovírus    Vacina experimental    Gastroenterite    Baylor College of Medicine    Robert Atmar   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Norovírus    vacina experimental    gastroenterite    Baylor College of Medicine    Robert Atmar   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.