Geral
publicado em 10/11/2011 às 15h38:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Do ponto de vista da ética, o uso e o descarte de embriões humanos para pesquisa e reprodução são admissíveis, e também não há razões decisivas contra a seleção de embriões. Essas são algumas das conclusões da tese " A ética do uso e da seleção de embriões" , de Lincoln Thadeu Frias, premiada na área de Ciências Humanas, Ciências Sociais e Aplicadas e Linguística, Letras e Artes da UFMG.

O objetivo da pesquisa foi analisar os argumentos contrários ao uso de embriões humanos em dois tipos de tecnologia: a derivação de células-tronco embrionárias - que são capazes de se transformar em vários tipos de tecido e podem ajudar a solucionar cegueira, paralisias musculares e doenças neurodegenerativas - e o diagnóstico genético pré-implantação, durante a fertilização in vitro.

Segundo Lincoln Frias, embora a lei em vigor no país permita a pesquisa a partir de embriões inviáveis ou que sobraram em clínicas de fertilização, a situação moral dos embriões permanece controversa nas áreas da legislação e da ética. Tal situação é foco da primeira discussão do trabalho. O autor examina os principais argumentos a favor do concepcionismo, corrente segundo a qual a vida começa na concepção porque o embrião já é um ser humano e a gestação, um processo contínuo.

" Meu estudo chega à conclusão de que embriões podem ser usados para reprodução e pesquisa, ainda que sejam viáveis e criados apenas para esse fim. Não há razões convincentes para conferir ao embrião o direito à vida, embora se justifique que deva haver limites para seu uso" , afirma Lincoln Frias.

Equívoco com nazismo

A tese investiga também o antisselecionismo, a crença de que a seleção genética de embriões é moralmente errada. O diagnóstico genético pré-implantação (DGPI) já é amplamente utilizado por casais que recorrem à reprodução assistida e se beneficiam da identificação de características genéticas dos embriões criados em laboratório.

" O principal argumento contra a seleção genética é o de que isso seria semelhante à eugenia nazista. É um equívoco, porque no nazismo o processo era centralizado pelo governo e feito de acordo com um modelo, enquanto no DGPI os pais é que decidirão pelos filhos, se é que será mesmo possível escolher alguma característica complexa" , explica o pesquisador.

Em outro capítulo, Lincoln analisa a chamada restrição terapêutica, prevista pelo Novo Código de Ética Médica, que determina que a seleção de embriões só deve ser utilizada para evitar o surgimento de doenças hereditárias. Nessa seção, o pesquisador apresenta estudos de caso sobre a seleção por deficiência, para melhoramento, por sexo e por compatibilidade para doação - por exemplo, de medula para um irmão doente.

Para o pesquisador, a restrição terapêutica não é adequada para distinguir critérios de seleção moralmente aceitáveis. Ele não considera que haja razões morais definitivas contra a seleção por sexo e por compatibilidade para doação, embora não visem à saúde dos filhos. " Essa restrição é válida, sim, para políticas públicas, pois evita que os ricos tenham ainda mais privilégios" , ressalta o autor, lembrando que o DGPI é procedimento muito caro e garantiria aos mais abonados novas vantagens competitivas.

Fonte: UFMG
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
ética    moral    embriões humanos    reprodução    pesquisa    células-tronco embrionárias    seleção    fertilização in vitro    "A ética do uso e da seleção de embriões"    Lincoln Thadeu Frias    UFMG   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.