Geral
publicado em 21/10/2011 às 17h29:00
   Dê o seu voto:

EFE  
tamanho da letra
A-
A+
Foto: EFE/Arquivo
Abortos só poderão ser praticados durante as primeiras 12 semanas de gravidez
  « Anterior
Próxima »  
Abortos só poderão ser praticados durante as primeiras 12 semanas de gravidez

A Câmara baixa do Parlamento da Rússia, conhecida como Duma, aprovou nesta sexta-feira (21) uma lei que limita o aborto, mas rejeitou as propostas da Igreja Ortodoxa Russa (IOR) que reivindicava, entre outras coisas, a permissão do marido.

Em virtude da nova lei, os abortos só poderão ser praticados durante as primeiras 12 semanas de gravidez, segundo as agências de notícias russas.

As exceções serão as mulheres que não puderem manter a criança, que poderão interromper voluntariamente a gravidez durante as primeiras 22 semanas.

Além disso, a lei estipula um período de dois a sete dias, conhecido como "semana de silêncio", para que a mulher possa reconsiderar sua decisão de interromper a gravidez.

A Igreja Ortodoxa exigia que a lei incluísse o aval obrigatório do marido nos casos de mulheres casadas, o consentimento dos pais nos casos de menores de idade e o direito dos médicos a se negar a praticar aborto.

Para reduzir os abortos e reverter o alarmante envelhecimento da população russa, o Governo tomou nos últimos anos várias medidas como restrição da publicidade dessas operações na imprensa.

Segundo o Ministério da Saúde da Rússia, o país tem um dos índices mais altos do mundo, com mais de 1 milhão de abortos anuais, mas outras fontes falam de vários milhões, número que multiplica várias vezes os números nos países ocidentais.

De acordo com as estatísticas oficiais, as mulheres russas se submetem a uma média de dois abortos ao longo de sua vida, enquanto 20% dos casais são incapazes de ter filhos devido a abortos mal praticados.

No entanto, o número de abortos caiu nos últimos anos, já que em 2005 era de 104,6 para cada 100 nascimentos e, no ano passado, foi de 58,7.

Em muitas ocasiões, a falta de educação sexual leva muitas mulheres a abortarem, já que consideram a operação menos prejudicial para seu organismo que o uso de métodos anticoncepcionais.

O número de abortos ainda era mais alto durante a era soviética, já que, diante da falta de preservativos e do desconhecimento dos métodos anticoncepcionais, este era o único método de planejamento familiar.

Fonte: EFE
   Palavras-chave:   Legislação    Planejamento familiar    Aborto    Igreja    Rússia   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Legislação    Planejamento familiar    aborto    igreja    Rússia   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.