Geral
publicado em 19/10/2011 às 11h57:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

E quipe de pesquisadores canadenses realiazou o sequenci amento d o genoma da Cannabis sativa, planta que produz tanto o cânhamo industrial quanto a maconha e, no processo revelou as mudanças genéticas que levaram às propriedades de produção de drogas desta planta.

O bioquímico especialista em plantas e professor de biologia na University of Saskatchewan, Jon Page, explica que um simples interruptor genético provavelmente é o responsável pela produção do THCA, ou ácido tetrahidrocanabinólico, o precursor do ingrediente ativo presente na maconha.

"A análise transcriptoma mostrou que o gene sintase THCA, uma enzima essencial na produção de THCA, é ativado na maconha, mas desativado no cânhamo", disse Page.

O professor do departamento de genética molecular da University of Toronto, Tim Hughes, explica que a equipe comparou a variedade potente de maconha chamada Purple Kush com o cânhamo 'finola', que é cultivado para a produção de sementes. O cânhamo não tem THCA, mas contém uma outra substância não-psicoativa chamada CBDA, ou ácido canabidiólico.

"Uma análise detalhada dos dois genomas sugere que a domesticação, o cultivo e a criação das cepas de maconha causou a perda da enzima (CBDA sintase) que, de outra forma, competiria pelos metabólitos utilizados como matéria-prima na produção de THCA", disse Hughes.

Essencialmente, isso significa que, durante anos de cultivo, os produtores de cânhamo cultivaram a Cannabis sativa em duas cepas distintas - uma para a fibra e a semente, e uma para os medicamentos. A maconha tem sido utilizada na medicina por mais de 2.700 anos, e continua a ser explorada por seu potencial farmacêutico.

"As plantas continuam a ser a maior fonte de medicamentos, tanto como drogas fitoterápicas, como enquanto componentes farmacêuticos. Embora mais de 20 genomas de plantas tenham sido publicados, desde culturas alimentares importantes, como o arroz e o milho, até de modelos de laboratório, como o Arabidopsis, este é o primeiro genoma de uma planta medicinal", disse Page.

Os pesquisadores esperam que o sequenciamento do genoma da Cannabis sativa ajude a responder questões básicas sobre a biologia da planta e que fomente o desenvolvimento de suas múltiplas aplicações, incluindo cepas para a produção farmacêutica e plantas de cânhamo de alta produção para a indústria, e variedades de sementes de cânhamo para produzir óleo comestível de alta qualidade. O óleo de semente de cânhamo é rico em ômega 6, um ácido graxo essencial, e a sua fibra é utilizada na produção de têxteis.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Cannabis sativa    Cânhamo    Maconha    Alterações genéticas    Fibras    Sementes    Medicamentos   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
cannabis sativa    cânhamo    maconha    alterações genéticas    fibras    sementes    medicamentos   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.