Saúde Pública
publicado em 01/09/2011 às 12h30:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: University of Copenhagen
A estudante de graduação Tine Nikolajsen colabora com a pesquisa analisando amostras das plantas em laboratório
  « Anterior
Próxima »  
A estudante de graduação Tine Nikolajsen colabora com a pesquisa analisando amostras das plantas em laboratório

Todos os anos cerca de 350 mil mulheres morrem devido a hemorragias pós-parto. No continente Africano, uma em cada 16 morrem durante a gravidez. Em alguns países o número é tão elevado que chega a uma em oito mulheres. O motivo é a falta de acesso à assistência médica, muitas vezes porque as mulheres não têm dinheiro ou porque elas vivem longe das unidades de atendimento. O conhecimento sobre as ervas, que pode ajudar no ajuste do útero após o parto é, portanto, muitas vezes a única oportunidade de salvar vidas em áreas rurais remotas.

Pesquisadores dinamarqueses têm 22 plantas testadas, para induzir aborto em ratos e várias plantas tinham o mesmo efeito que o medicamento de controle acetylcholin. "Metade das plantas que testamos fez o ajuste de tecido do útero, enquanto a outra metade induziu contrações com intervalos curtos. Sete das plantas trabalharam em ambos os sentidos", explica a etnofarmacologista Anna K. Jäger, do departamento de química medicinal da University of Copenhagen.

A pesquisa se baseia no encontro com diferentes culturas com "tradicionais curandeiros" . A pesquisadora investiga se a medicina tradicional contém drogas ativas que provaram ter um efeito sobre as doenças. Estes resultados vão ser usados para promover a saúde na África e, para isso, os pesquisadores estão planejando uma série de seminários nas organizações de curandeiros e parteiras na Tanzânia, onde o aborto é ilegal, o que eleva a procura das grávidas pelos tradicionais curandeiros.

A partir de entrevistas com parteiras locais, a médica dinamarquesa Vibeke Rasch, do Odense University Hospital, estudou 22 plantas usadas ??por mulheres que não têm acesso ao aborto nos hospitais. Duas delas são colocadas diretamente na vagina e as outras são usadas em chás ou extratos.

Com o projeto " People and Plant Medicine" , os pesquisadores investigam se as plantas usadas na medicina tradicional têm efeitos farmacológicos, tornando-as adequadas para a medicina. É importante identificar as plantas que funcionam, bem como classificar as ineficazes e prejudiciais. O objetivo do projeto é compartilhar esse conhecimento com os profissionais e usuários de plantas medicinais em todas as sociedades africanas possíveis.

O trabalho de laboratório é feito em colaboração com a Associate Professor Uffe Kristiansen do Department of Pharmacology and Pharmacotherapy.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Teste    Laboratorio    Ervas    Aborto    Tecido    Utero    Hemorragias    Africa    Mulheres    Parto    Doenças    Saúde    University of Copenhagen    Dinamarca   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
teste    laboratorio    ervas    aborto    tecido    utero    hemorragias    Africa    mulheres    parto    doenças    saúde    University of Copenhagen    Dinamarca   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.