Ciência e Tecnologia
publicado em 26/08/2011 às 11h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: USAID
Hillary Clinton, secretária de Estado dos Estados Unidos, durante a conferência
  « Anterior
Próxima »  
Hillary Clinton, secretária de Estado dos Estados Unidos, durante a conferência "Saving Lives at Birth: Grand Challenge for Development" em Washington

Estudos têm demonstrado que, se os recém-nascidos receberem medicamentos antiretrovirais logo após o nascimento, a chance de contraírem Aids será reduzidas significativamente.

Nos últimos três anos, os engenheiros da Duke Pratt School of Engeneering, nos Estados Unidos, buscaram a melhor forma de proteger bebês africanos do HIV, já que estas crianças nascem em casa e não em hospitais. A solução eficaz e de baixo custo obtida por eles foi a criação de uma embalagem batizada de "Bolsa Pratt" em homenagem à escola de engenharia.

A Agência de Desenvolvimento Internacional dos EUA (Usaid) está otimista em relação ao potencial da bolsa e premiou a equipe de engenheiros com uma doação de US $ 250 mil para que o projeto seja posto em prática e os medicamentos sejam distribuidos entre recém-nascidos e mulheres infectadas na Tanzânia (assista ao vídeo).

Saving Lives at Birth
Salvando vidas ao nascer: Desenvolvimento X Mudança

Na África, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que mais de 90% dos novos casos da doença ocorreu pela transmissão de mãe para filho. "Já é certo que se esses recém-nascidos receberem o cocktail dentro de alguns dias de nascimento, suas chances de desenvolver a doença diminuirão significativamente", disse Robert Malkin, professor de engenharia na Universidade Duke. "No entanto, muitos dos bebês africanos nascem em casa, e nem sempre podem obter o medicamento a tempo."

A equipe de pesquisadores produziu uma embalagem de alumínio revestida com plástico que armazenará uma dose única de anti-retrovirais.

O ideal é que a mãe possa cortar a parte superior da bolsa e apertar a droga diretamente na boca do recém-nascido. Para isso a estudante de engenharia mecânica Amanda Britt está desenvolvendo estratégias com a equipe de criadores para que o processo seja o mais fácil possível para a mãe.

O objetivo do projeto é tornar a embalagem um meio eficaz para que mães HIV-positivas na Tanzânia administrem corretamente os medicamentos que poderão privar os filhos da Aids.

Para conhecer mais sobre a Bolsa Platt, leia a matéria original (em inglês).

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Embalagem    Anti-retroviral    HIV    AIDS    Engenheiros    áfrica    Tanzânia    Duke Pratt School of Engeneering   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
embalagem    anti-retroviral    HIV    AIDS    engenheiros    áfrica    tanzânia    Duke Pratt School of Engeneering   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.