Ciência e Tecnologia
publicado em 14/08/2011 às 13h55:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Pesquisadores da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, desenvolveram um modelo matemático que mostra a propagação espacial do Vírus do Nilo Ocidental em Nova Iorque. As conclusões da equipe, publicadas recentemente na revista PLoS Biology Computacional, mostram um padrão de desaceleração que ainda não tinha sido descrito e poderia ajudar as autoridades de saúde pública a estabelecerem alvos mais precisos nos esforços de controle da doença.

O Vírus do Nilo Ocidental, uma das mais difundidas doenças transmitidas por vetores na América do Norte, apareceu pela primeira vez em Nova York em 1999. O WNV (sigla em inglês) é transportado por pássaros e transmitido aos seres humanos por mosquitos. Ele pode causar sintomas que variam de uma febre leve a encefalite e meningite, o que causou mais de 1,2 mil mortes em os EUA desde 1999, de acordo com o Centers for Disease Control and Prevention.

Com o mapeamento, eles descobriram que a presença de áreas inóspitas diminui a propagação da doença sob certas condições. "Se há muitos locais inóspitos no modelo, a disseminação do WNV para completamente", disse ele.

A outra observação é que o vírus se espalha de duas formas. "A dispersão local significa que a ave vetor migra para apenas uma região da cidade, ao contrário da dispersão global em que o pássaro se move para qualquer lugar da cidade. No caso dessa doença acontecem os dois tipos de dispersão", disse Magori.

Outras importantes conclusões são relacionadas às quedas de temperatura, conhecidas por inibir o crescimento de mosquitos, mas uma revisão dos dados mostrou que a propagação do WNV desacelerou antes de quedas de temperatura.

"O modelo destaca uma justificativa para o direcionamento de controle de mosquitos. Se a maneira como essa doença se espalha for conhecida, os focos da doença poderão ser identificados na cidade." disse Magori.

Esta é a primeira análise completa desse conjunto de dados, que contém mais de um milhão de registros. Segundo Magori, mais análises estão em andamento.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Vírus do Nilo Ocidental    Modelo matemático    Método    Mapeamento    Pesquisa    Universidade da Georgia   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
vírus do Nilo Ocidental    modelo matemático    método    mapeamento    pesquisa    Universidade da Georgia   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.