Saúde Pública
publicado em 29/05/2011 às 14h10:00
   Dê o seu voto:

Corpos como da atriz Nicole Kidman contrastam com as volumosas barrigas de 24% dos jovens maiores de 18 anos

EFE  
tamanho da letra
A-
A+

Mais de 60% da população adulta tem problemas de sobrepeso na Austrália, que gasta milionárias quantias em fast-food e registra um dos índices de obesidade mais altos do mundo.

Corpos esculturais como o do campeão mundial e olímpico de natação Ian Thorpe e figuras esbeltas como a estrela de Hollywood Nicole Kidman contrastam com as volumosas barrigas de 24% dos maiores de 18 anos.

Segundo dados divulgados pelo Escritório de Estatísticas esta semana, a população de adultos obesos na Austrália aumentou 5% entre 1995 e 2008 - último ano de referência -, até alcançar quatro milhões de pessoas, número só superado por México, Nova Zelândia, Reino Unido e, é claro, Estados Unidos.

Além disso, outros estudos revelam que 37% dos australianos estão acima do peso, índice igual ao de cidadãos com massa corporal normal.

A falta de dinheiro, educação e exercícios físicos são fatores cruciais para entender a obesidade na Austrália, um país onde os pratos tradicionais são elaboradas a base de carne, salsichas e verduras cozidas ou pescados e mariscos acompanhados de batatas fritas.

De acordo com a última apuração disponível, 33% dos adultos obesos vivem em áreas pobres ou rurais, quase o dobro do índice entre os que moram em zonas com mais recursos ou urbanas.

Pobreza, ignorância ou estilo de vida, o certo é que se calcula que os australianos gastarão este ano cerca de 37 bilhões de dólares locais (27,75 bilhões de euros) em fast-food, 3 bilhões de euros mais que em 2008.

Com este valor, equivalente à ingestão anual de 343 hambúrgueres por habitante, a Austrália é o 11º maior consumidor deste tipo de alimento, sustentam dados da empresa de consultoria Euromonitor.

Atualmente, há na Austrália e na Nova Zelândia - país vizinho que também tem graves problemas com a obesidade - 1.250 restaurantes da rede Subway, 845 franquias da pizzaria Domino?s, 780 McDonald's, 300 Hungry Jack's e 600 KFC.

Jane Martin, uma especialista em políticas contra a obesidade, assinalou que o preço dos alimentos frescos é maior que o dos processados, e permite alimentar uma família de quatro pessoas por 20 dólares australianos.

Em Sydney, a maior cidade da Austrália, há muitos mercados com produtos frescos e orgânicos de primeira qualidade, mas tão caros que são poucos os que podem pagar por eles.

Os habitantes dos centros urbanos também são motivados a comerem melhor pelo programa de televisão "Master Chef", no qual os aspirantes a cozinheiros surpreendem a audiência com pratos originais.

Mas a culinária cosmopolita não chegou ao interior: nas pequenas localidades, os supermercados têm produtos básicos e as opções se reduzem a cadeias de fast-food, o pub local e algum restaurante indiano ou asiático.

Pior ainda é a situação em comunidades aborígines e em zonas remotas, onde os alimentos se limitam a alguns produtos frescos e maior variedade de comida enlatada e congelada.

Em 2008, a tendência a engordar e à obesidade custou aos australianos 58,2 bilhões de dólares do país (43,65 bilhões de euros) com despesas médicas, pagamento aos cuidadores e mortes prematuras.

No começo do ano, a Fundação Nacional de Saúde da Austrália alertou que as crianças do país viverão menos que a geração de seus pais se persistirem os maus hábitos alimentares e a falta de exercícios.

Fonte: EFE
   Palavras-chave:   Autrália    Sobrepeso    Acima do peso    Fast-food    Obesidade   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Autrália    sobrepeso    acima do peso    fast-food    obesidade   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.