Saúde Pública
publicado em 27/05/2011 às 18h00:00
   Dê o seu voto:

Mortalidade materna reflete desrespeito aos direitos humanos, afirma Juiz

Segundo o juiz, os direitos sexuais e reprodutivos devem ser compreendidos sob a perspectiva dos direitos humanos

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Lúcia Alencar
Foto: Lúcia Alencar
Juiz de Direito José Henrique Torres, de São Paulo, durante palestra sobre o tema Palestra
  « Anterior
Próxima »  
Juiz de Direito José Henrique Torres, de São Paulo, durante palestra sobre o tema "Direitos sexuais e reprodutivos são direitos humanos".
Palestra "Direitos sexuais e reprodutivos são direitos humanos" realizada na sede da Associação Baiana de Medicina (ABM), comemora o Dia Nacional de Luta.

Cerca de 70 a 80 mil mortes maternas decorrentes de aborto inseguro são registradas todos os anos no mundo. No Brasil, onde ocorrem em torno de um milhão de casos por ano, o aborto inseguro é a quarta principal causa de morte materna. As informações foram divulgadas nessa quinta-feira (26) pelo juiz de direito José Henrique Torres, de São Paulo, durante a palestra "Direitos sexuais e reprodutivos são direitos humanos". Segundo o juiz, os direitos sexuais e reprodutivos devem ser compreendidos sob a perspectiva dos direitos humanos, cabendo ao estado garantir esses direitos.

A palestra abre a série de atividades alusivas ao Dia Nacional de Luta pela Redução da Mortalidade Materna, comemorado neste sábado (28). Durante a conferência, o juiz paulista, que é membro da Associação de Juizes para a Democracia, falou sobre artigos da Constituição Brasileira que tratam do direito à saúde, e também sobre garantias fundamentais asseguradas às mulheres pelo sistema de direitos humanos, entre eles os direitos sexuais e reprodutivos, que surgiram no âmbito dos direitos humanos em 1994, durante a Conferência do Cairo.

Torres disse que ocorrem cerca de 210 milhões de gestações/ano no mundo e destas, 20 milhões resultam em aborto inseguro. De acordo com o palestrante, é inconcebível que ainda se observem índices tão elevados de mortes maternas no Brasil, quando a maior parte dessas mortes (90%) são evitáveis.

A médica Maria José Araújo, relatora do Direito à Saúde Sexual e Reprodutiva da Plataforma Brasileira de Direitos Humanos e membro da Rede Feminina de Saúde, apontou a importância da retomada do Comitê Estadual de Estudo da Mortalidade Materna da Bahia, que ficou desativado por quase três anos, e disse que os números relativos à mortalidade materna revelam como os estados tratam as mulheres. "Para nós, mulheres ativistas dos direitos humanos, a morte materna é uma das coisas que mais causa revolta", comentou a médica, acrescentando que não é mais possível que mulheres morram por um aborto feitos sem condições adequadas, por hipertensão arterial não tratada, entre outras causas evitáveis.

O médico David Nunes, presidente do CEEMM, informa que o comitê já deu início à investigação e análise dos óbitos maternos e que a idéia é fortalecer os comitês regionais, municipais e hospitalares, além de envolver a sociedade na luta pela redução da mortalidade materna. "A questão da mortalidade materna não passa apenas pela qualificação da assistência e pelos aspectos biológicos. É necessário pensar também nas causas sociais dessas mortes maternas, como a desinformação e a violência contra a mulher, por exemplo", defendeu o médico.

A representante da Sesab no evento, Olga Sampaio, afirmou que a redução das mortes maternas é uma prioridade do governo, e que a retomada do CEEMM vem um sendo um "desafio muito grande, que ultrapassa a área de saúde e requer a participação de diversos parceiros".

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Mortalidade materna    Neonatologia    Aborto    Direitos Humanos   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia: Mortalidade materna reflete desrespeito aos direitos humanos, afirma Juiz
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria: Mortalidade materna reflete desrespeito aos direitos humanos, afirma Juiz


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
mortalidade materna    neonatologia    aborto    Direitos Humanos   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.