Ciência e Tecnologia
publicado em 22/05/2011 às 16h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Apesar das preocupações recentes de que os medicamentos para o déficit de atenção e hiperatividade (ADHD) possam aumentar o risco de eventos cardiovasculares em crianças e adolescentes, um estudo observacional realizado por pesquisadores da Perelman School of Medicine da Universidade da Pennsylvania, nos Estados Unidos, descobriu que os pacientes que os utilizam não têm mais chances de morrer de um evento cardiovascular grave do que aqueles que não tomam os medicamentos. Os resultados fornecem a primeira análise de tais eventos em uma grande população de crianças e adolescentes que recebe medicamentos de ADHD em comparação aos não usuários.

"Estes dados fornecem a reafirmação de que a coisa mais preocupante - a morte - não é mais provável em usuários de medicamentos de ADHD do que nos não-usuários", diz o autor sênior Dr. Sean Hennessy. "Para as crianças que se beneficiarão do tratamento com ADHD, o risco potencial de um evento cardiovascular não deve dissuadir os pais ou responsáveis de dar essas drogas à criança ou ao adolescente".

Estima-se que 2,7 milhões ou 4,8% de todas as crianças na faixa etária de 4 a 17 anos nos E.U.A. tomaram medicamentos para ADHD em 2007, o ano mais recente para o qual existem dados disponíveis. Depois que estudos anteriores descobriram que as drogas para tratamento do ADHD podem levar ao aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial em crianças, o grupo de Hennessy tomou um grande banco de dados de registros de pacientes para observar se os pacientes que recentemente começaram a tomar medicamentos de ADHD pareceram mais propensos a sofrer de morte súbita, ataque cardíaco ou derrame.

Para o estudo, os pesquisadores vasculharam os dados de pacientes contidos em bancos de dados Medicaid de cinco estados (Califórnia, Flórida, Pensilvânia, Nova York e Ohio) e o HealthCore Integrated Research Database, que contém dados médicos históricos e atuais e dados de reivindicações médicas e farmacêuticas de mais de 44 milhões de inscritos nos planos Blue Cross e Blue Shield em 14 estados. O grupo de Hennessy identificou 241.417 pacientes com idades entre 3 e 17 anos que usavam medicamentos ADHD e controlaram seus registros de saúde durante o período no qual usaram a medicação (uma média de 135 dias). Os pesquisadores então compararam as taxas de morte súbita, de ataque cardíaco e de derrame em pacientes que tomam medicamentos para ADHD às taxas dos que não tomam os medicamentos - que têm a mesma idade, o mesmo sexo e que são do mesmo estado - em uma média de 609 dias.

Os investigadores encontraram 28 óbitos no grupo exposto aos medicamentos de ADHD (incidência de 1,79 por 10.000 pessoas-anos) e 607 no grupo de controle (incidência de 3,00 por 10.000 pessoas-anos). Além disso, os pesquisadores não identificaram qualquer caso de ataque cardíaco ou de derrame no grupo que recebeu medicação ADHD, mas encontrou 11 casos no grupo não exposto. Como o grupo de crianças e adolescentes que recebem medicamentos de ADHD não tinha quaisquer relatórios de derrame e de ataque cardíaco validados, os pesquisadores não foram capazes de afastar os aumentos relativos da taxa de tais eventos do uso da droga.

"O fato de que as taxas de eventos cardiovasculares que poderiam ser identificados foram muito baixas é de interesse porque, pelo menos, podemos dizer que não temos uma epidemia de tais eventos em crianças recebendo medicamentos de ADHD", disse Hennessy. "Se os medicamentos de ADHD estavam causando uma epidemia de eventos cardiovasculares, esperaríamos vê-la neste estudo".

"Esta é uma das primeiras respostas, mas não será a última", Hennessy diz, acrescentando que, desde 2007, a U. S. Food and Drug Administration (FDA) e a Agency for Healthcare Research and Quality (AHRQ) têm estudado os potenciais riscos cardiovasculares das medicamentações de ADHD nas crianças. "Até que os resultados do estudo da FDA tornem-se públicos, este estudo deve restabelecer a confiança aos pais e cuidadores de que as medicações para ADHD são seguras do ponto de vista cardiovascular".

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
eventos cardiovasculares graves    déficit de atenção    hiperatividade    ADHD    medicamentos de ADHD    derrame    ataque cardíaco    morte súbita   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.