Ciência e Tecnologia
publicado em 08/04/2011 às 18h22:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Pesquisadores da University of Southampton, no Reino Unido, encontraram uma relação clara e direta entre a altura e a longevidade.

Resultados mostram que a maneira como vivemos afeta diretamente o comprimento do nosso corpo e a duração de nossas vidas.

A pesquisa constatou que há 200 anos havia diferenças substanciais na altura entre as pessoas da classe trabalhadora e da classe alta. Em 1780, a altura média de uma criança de 14 anos da classe trabalhadora era 1,3 metros, enquanto uma criança de classe alta era "significativamente mais alta", 1,55.

Hoje, porém, como os serviços de saúde, nutrição, saneamento e educação tornaram-se universais, os filhos da classe alta têm continuado a crescerem e serem mais altos, mas a um ritmo mais lento do que as crianças da classe trabalhadora. A diferença entre os adultos da classe superior e da classe trabalhadora diminuiu para menos de 0,06 m.

"O objetivo é descrever, analisar e explicar as mudanças na altura e na saúde em diferentes países ao longo do tempo. No entanto, também queremos enfatizar os modos pelos quais as mudanças podem afetar os padrões de desenvolvimento humano no futuro" , afirmou um dos autores, Bernard Harris.

"Nosso trabalho mostra que houve mudanças dramáticas na saúde das crianças (como refletido na altura adulta atingida) ao longo dos últimos cem anos, e outros pesquisadores têm destacado a existência de laços estreitos entre as melhorias na saúde infantil e a saúde na vida adulta. Essas mudanças têm profundas implicações para a evolução da saúde no futuro, a longevidade e o desempenho econômico no próximo século" , observou Harris.

Segundo os pesquisadores, os investimentos feitos na saúde das crianças de hoje podem desempenhar um papel fundamental na determinação do bem-estar econômico das gerações futuras."

A variação regional também desempenha seu papel. Dois séculos atrás, as pessoas na Escócia estavam 2,3 centímetros mais altos do que aqueles que vivem no sul da Inglaterra, enquanto os noruegueses estavam entre as mais altas nações da Europa. Hoje, o escocês, com uma média de 1,73 m para um homem adulto, são mais baixos do que aqueles que vivem no sudeste da Inglaterra com 1,75 m, enquanto os noruegueses são a segunda nação mais alta da Europa, superado apenas pelo holandês.

"As melhorias na alimentação e saneamento no Sudeste tem superado as melhorias na Escócia, refletindo o padrão geral de mudança econômica e social ao longo dos últimos 200 anos", afirmou Harris.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Altura    Longevidade    University of Southampton    Bernard Harris   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
altura    longevidade    University of Southampton    Bernard Harris   
Comentários:
Comentar
thomas samaras
postado em:
11/12/2012 02:27:21
Extensive evidence from a variety of studies worldwide, including the same and different ethnic groups, indicates that shorter people generally live longer. A few examples follow:1. With many mammalian species, the smaller individual lives longer than the larger one; e.g., dogs, rats, mice, horses, cows, and elephants.2. A recent study by Salaris et al. found that shorter men within a village in Sardinia lived longer than taller ones. These findings are consistent with previous Sardinian studies.3. Professor Bartke found that smaller individuals tend to be healthier and live longer. (Gerontology, 2012)4. Holzenberger found that shorter men lived longer than taller ones in Spain based on 1.3 million men tracked for 70 years.5. US national data show smaller ethnic groups have lower mortality compared to taller ones. Based on 18 million deaths.6. The top 6 populations for life expectancy are shorter than the 6 tallest Western European populations.7. Chan, Suzuki and Yamamoto found that short and lean people are more likely to reach 100 years of age.Height is about 10% of the longevity picture. Therefore, many other factors can affect the results of height and longevity studies. However, the evidence collected over the last 37 years appears to be much stronger and consistent than evidence indicating tall people live longer.For information on about 40 papers and books that support the shorter is healthier thesis, see www.humanbodysize.com
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.