Ciência e Tecnologia
publicado em 24/01/2011 às 13h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

A mistura de energéticos com bebidas alcoólicas se tornou comum, especialmente entre universitários, que costumam acreditar que o composto a base de cafeína irá compensar os efeitos sedativos do álcool e aumentar a agilidade e a resistência. No entanto, estudo realizado pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Boston (BU) em parceria com o Centro de Estudos de Álcool e Dependências da Universidade Brown, nos Estados Unidos, aponta que a adição de cafeína na mistura energético com vodca, por exemplo, não tem efeito na melhoria do desempenho em um teste de condução ou na melhoria da atenção sustentada ou tempos de reação.

De acordo coma paesquisa, parece haver pouca ou nenhum benefício a partir da adição de cafeína ao álcool, com relação à execução segura das atividades que requerem atenção sustentada com decisões rápidas e precisas.

"Os resultados deste estudo sugerem que a educação pública, via meios de comunicação e das etiquetas de aviso, devem ser considerados em relação à segurança dos OAC [cafeína bebidas alcoólicas], e que os reguladores devem analisar o consumo de bebida energética e a publicidade que se refere à promoção de expectativas relacionadas com a segurança ", observa o líder do estudo Jonathan Howland.

Atualmente, a mistura de energéticos com bebidas alcoólicas têm se tornado cada vez mais motivo de preocupação para o governo de vérios países. A Dinamarca proibiu a venda de bebidas energéticas, e os governos do Canadá e da Suécia têm emitido alertas sobre a mistura de bebidas energéticas com álcool.

Na presente pesquisa, a equipe analisou aleatoriamente 129 participantes, com idades entre 21 e 30 anos, dividindo-os em quatro grupos: um que consumiu cerveja com cafeína, um segundo que consumiu cerveja não-cafeinada e um terceiro que consumiu cafeína com cerveja sem álcool, e um quarto que consumiu cerveja não-cafeinada não-alcoólica.

Os participantes foram testados em um simulador de condução e de atenção sustentada. O teste mediu o tempo de reação 30 minutos depois de beber. Os resultados indicam que a cafeína não reduz os efeitos da deficiência de álcool. No exame de condução, o efeito do álcool sobre o desempenho foi significativo, mas a adição de cafeína não faz uma diferença notável.

"É importante que os consumidores entendem que a adição de cafeína ao álcool não aumenta a segurança", resume Howland sobre os resultados do estudo.

BUSPH
Estudo aponta que bebidas energéticas não anulam efeitos do alcoól

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Energético    Bebida alcoólica    Mistura    Cafeína    Sedativos   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Energético    bebida alcoólica    mistura    cafeína    sedativos   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.