Ciência e Tecnologia
publicado em 24/12/2010 às 02h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Pesquisadores do Duke Cancer Institute, nos Estados Unidos, descobriram fatores que tornam maior o risco de problemas na fala e na deglutição após o tratamento de câncer de cabeça e pescoço. Entre as causas estão a idade do paciente, a saúde geral pobre, a área específica em que o câncer apareceu e cirurgia planejada no pescoço após o término da quimioterapia e radioterapia.

A maioria dos pacientes com carcinoma de cabeça e pescoço que completa o tratamento com quimioterapia e radiação consegue fazer isso sem perder a capacidade de falar claramente e engolir confortavelmente, mas uma parcela dos pacientes sofre com esses problemas após o tratamento.

Trabalhando com colegas da Universidade de Chicago, Joseph K. Salama, realizou um estudo retrospectivo de 184 pacientes com câncer avançado, mas tratável, de cabeça e pescoço.

Todos receberam cerca de dois meses de quimioterapia com carboplatina e paclitaxel e, em seguida, junto radiação adicional durante um período de dez semanas. Alguns dos pacientes também foram submetidos a pequenas cirurgias para remover tumores simples ou gânglios linfáticos no pescoço.

Utilizando uma escala de quatro pontos, os pesquisadores avaliaram a capacidade do paciente para falar e engolir entre seis semanas a seis anos após o término de todos os tratamentos. Eles descobriram que 85% dos pacientes eram capazes de falar normalmente, e 63% de engolir normalmente.

Entre aqueles que não se saíram tão bem, vários fatores se destacaram como possíveis causas. Geralmente, pacientes mais idosos tiveram um desempenho pior que os mais jovens. A história de tabagismo e a presença de tumores localizados diretamente sobre ou perto da laringe também foram relacionados com pior tratamento fonoaudiológico. O estudo também mostrou que as mulheres tinham geralmente fala mais pobre do que os homens.

Fatores associados com piores resultados para engolir incluíram idade, saúde geral pobre, a área específica em que o câncer apareceu e cirurgia planejada no pescoço após o término da quimioterapia e da radioterapia.

Os pesquisadores também descobriram que pacientes com melhor fala a longo prazo e deglutição foram mais propensos a ter uma melhor deglutição antes e logo após o tratamento.

"Isto sugere que a avaliação precoce pós tratamento pode ser uma boa ferramenta para os médicos e pacientes usarem para prever a possibilidade de problemas a longo prazo", disse Salama.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Câncer de cabeça e pescoço    Fala    Deglutição    Joseph K. Salama    Duke Cancer Institute   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
câncer de cabeça e pescoço    fala    deglutição    Joseph K. Salama    Duke Cancer Institute   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.