Ciência e Tecnologia
publicado em 04/11/2010 às 13h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Divulgação/UCN
A anorexia deixa a mulher mais propensa a gravidez indesejada
  « Anterior
Próxima »  
A anorexia deixa a mulher mais propensa a gravidez indesejada

Mulheres com anorexia nervosa são muito mais propensas a terem gestações indesejadas e abortos induzidos que mulheres que não apresentam transtornos alimentares. A descoberta foi feita por pesquisadores da University of North California, nos Estados Unidos, e por pesquisadores noruegueses em um novo estudo que analisou dados de 62.060 pessoas. "A anorexia não é um contraceptivo bom", destaca a autora principal do estudo, Cynthia M. Bulik. "Estes resultados podem ser conduzidos por uma crença equivocada entre as mulheres com anorexia de que elas não podem engravidar, porque não têm períodos menstruais totais ou estão tendo períodos menstruais irregulares".

Entre as participantes do estudo, 62 declararam ter anorexia nervosa. As diferenças entre as mulheres com problemas alimentares e as que não têm os transtornos foram surpreendentes. Os resultados do trabalho revelaram que 50 % das mulheres com anorexia relataram gestações não planejadas, em comparação com 18,9 % do grupo de controle. Além disso, 24,2 % das pessoas com transtornos na alimentação relataram aborto induzido no passado, comparado a 14,6 % das demais mulheres. A idade média das mães no parto foi de 26,2 anos nas que têm anorexia, comparado com 29,9 anos no grupo de referência sem distúrbios alimentares."Só porque você não está menstruada ou porque você está tendo períodos irregulares, não significa que você não está em risco de engravidar. Os médicos e outros prestadores de cuidados de saúde precisam estar cientes disto também", afirma Bulik.

A pesquisadora acredita que médicos que tratam de mulheres, adolescentes e jovens, em particular, precisam ter certeza de que eles conversem sobre sexualidade e contracepção claramente com as pacientes com anorexia como fazem com todas as outras meninas e mulheres. "Além disso, os médicos que cuidam de grávidas precisam saber quando suas pacientes têm um distúrbio alimentar, a fim de prestar os cuidados adequados. A triagem para distúrbios alimentares durante a consulta pré-natal seria um excelente primeiro passo", diz ela.

Fonte: Isaude.net
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
anorexia nervosa    gravidez indesejada    aborto    Cynthia M. Bulik    University of North Carolina em Chapel Hill   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.