Ciência e Tecnologia
publicado em 18/10/2010 às 16h30:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+

Nosso cérebro possui uma barreira natural que o protege de substâncias prejudiciais ao sistema nervoso que circulam no sangue. No entanto, essa barreira sangue-cérebro também impede que drogas cheguem ao cérebro. Pesquisadores da Karolinska Institutet encontraram a chave para desbloquear essa barreira.

Um tipo de célula na parede do vaso sanguíneo, chamada pericitos, pode ser essa chave. A descoberta possibilita a criação de novos tratamentos para a doença de Alzheimer e acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Os resultados mostram que a barreira hemato-encefálica é regulamentada pelo pericitos e pode ser aberta de forma que permite a passagem de moléculas de tamanhos diferentes, enquanto as funções básicas do cérebro são mantidas, explica Christer Betsholtz, professor de Biologia Vascular do Departamento de Bioquímica Médica e Biofísica, que conduziu o estudo.

Barreira hemato-encefálica é o termo que descreve os vasos sanguíneos no cérebro e é quase completamente fechada. Em outros órgãos do corpo a parede do vaso sanguíneo libera substâncias no sangue, tais como a albumina plasmática e imunoglobulinas, no tecido circundante.

Em vasos sanguíneos cerebrais o caminho é fechado. Em vez disso, os vasos sanguíneos possuem uma permeabilidade seletiva, pela qual só é possível passar com transportadores específicos e enzimas. Isso é necessário, em parte porque as proteínas do plasma são prejudiciais para as células nervosas.

Recentemente, a permeabilidade vascular no cérebro foi apontada como um fator de importância potencial para doenças neurodegenerativas, como Alzheimer, Parkinson e esclerose lateral amiotrófica.

As descobertas sobre a barreira hemato-encefálica poderiam proteger o cérebro em diferentes estados, possibilitando a abertura da barreira e a liberação de substâncias nervosas prejudiciais, como ocorre no AVC e em inflamações. E poderia ainda se abrir temporariamente para o transporte de fdrogas para tratar doenças neurodegenerativas e outras doenças cerebrais, explica Betsholtz.

No presente estudo, ele e sua equipe de pesquisa mostram como isso poderia ser feito. Um mecanismo molecular ainda desconhecido mantém a função normal da barreira de pericitos na parede dos vasos sanguíneos cerebrais. Na ausência de pericitos abre-se uma rota especial, chamada transcytos, através da parede dos vasos, levando moléculas de tamanhos diferentes, incluindo as proteínas de plasma de grande porte, a passar da corrente sangüínea para o cérebro.

"Um dado interessante é que o medicamento para câncer, que inibe certas proteínas de sinalização para o crescimento celular, tem um efeito similar à presença de pericitos, ou seja, eles estão fechando a via de transporte da parede do vaso", diz Betsholtz.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Cérebro    Barreira    Hemato-encefálica    Enzimas   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
cérebro    barreira    hemato-encefálica    enzimas   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.