Ciência e Tecnologia
publicado em 06/10/2010 às 16h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: Divulgação
Imagem do cérebro humano
  « Anterior
Próxima »  
Imagem do cérebro humano

O cérebro humano funciona como um supercomputador orgânico que mantêm bilhões de células em comunicação permanente. No entanto, "erros de programação" podem causar doenças graves, como esquizofrenia, doença de Parkinson e Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

Para se comunicar, o cérebro usa moléculas de sinais bioquímicos. Essa linguagem bioquímica tem despertado o interesse de muitos pesquisadores. Com base nisso, uma equipe das Universidades de Copenhague, Göttingen e Amesterdã focou seus estudos na forma como as células nervosas transmitem sinais, simultaneamente.

As células do sistema nervoso comunicam através de pequenas moléculas neurotransmissoras, como dopamina, serotonina e noradrenalina. A dopamina está associada às funções cognitivas, como memória; a serotonina controla o humor; e noradrenalina é responsável pela atenção e excitação.

A rede de comunicação celular do cérebro, as sinapses, transmitem mensagens através de neurotransmissores químicos embalados em pequenas vesículas localizadas nas terminações nervosas das sinapses. Um sinal elétrico faz com que os contentores e a membrana se fundam e que, a partir das terminações nervosas, o fluxo de neurotransmissores sejam capturados por outras células nervosas. Isso ocorre com imensa rapidez, em uma fração de um milissegundo.

Os pesquisadores vêm estudando o complexo de proteínas orgânicas ligadas às vesículas e membrana antes da fusão, a fim de encontrar uma explicação para a rapidez dessas transmissões. Eles descobriram que a vesícula contém três cópias de ponte de ligação ou "complexo SNARE". Com apenas um complexo SNARE, a vesícula demora mais a se fundir com a membrana e, portanto, o neurotransmissor é secretado mais lentamente.

" Os precursores para os complexos SNARE estão presentes nas vesículas antes de chegarem à membrana-alvo ", explica Jakob Balsev Sorensen, do Departamento de Neurociências e Farmacologia da Universidade de Copenhague. "A fusão rápida (síncrono) é ativada quando pelo menos três deles trabalham em conjunto. Se a vesícula tem apenas um complexo SNARE, ele ainda pode se fundir com a membrana alvo, mas leva muito mais tempo".

Sorensen explica que o próximo passo é investigar os fatores que influenciam e regulam o número de complexos SNARE nas vesículas.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Cérebro    Supercomputador    Comunicação celular    Sinapses    Neurotransmissores    Dopanima    Serotonina    Noradrenalina   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Cérebro    supercomputador    comunicação celular    sinapses    neurotransmissores    dopanima    serotonina    noradrenalina   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.