Ciência e Tecnologia
publicado em 14/09/2010 às 16h00:00
   Dê o seu voto:

 
tamanho da letra
A-
A+
Foto: L.A. Cicero/Stanford
Foto: L.A. Cicero/Stanford
Foto: L.A. Cicero/Stanford
O sensor é sensível o suficiente para detectar chorinea faunus colocados sobre a borboleta Os pesquisadores podem medir a pressão de uma borboleta registrada pelos sensores Zhenan Bao, professora de engenharia química, conduziu a pesquisa
  « Anterior
Próxima »  
O sensor é sensível o suficiente para detectar chorinea faunus colocados sobre a borboleta
Os pesquisadores podem medir a pressão de uma borboleta registrada pelos sensores
Zhenan Bao, professora de engenharia química, conduziu a pesquisa

Os pesquisadores da Universidade de Stanford desenvolveram uma pele de alta sensibilidade, flexível e capaz de sentir o pouso de uma mosca. Confeccionado em folhas grandes, os sensores podem ser utilizados como uma pele eletrônica artificial para próteses, robôs, telas sensíveis ao toque e uma gama de aplicações médicas.

A equipe criou um sensor eletrônico, imprensado em uma camada de borracha flexível com dois eletrodos paralelos, capaz de detectar o mais leve toque. "Ele detecta pressões bem abaixo daquela exercida por uma mosca e faz isso com uma velocidade sem precedentes", disse Zhenan Bao, professora adjunta da engenharia química e líder da pesquisa.

Bao explica que a principal inovação do novo sensor é a utilização de uma película fina de borracha moldada em uma grade de pequenas pirâmides. "Descobrimos que com uma película muito fina contínua, quando pressionada, o material não tem espaço para se expandir", disse Stefan Mannsfeld, co-autor. "Assim, as moléculas no filme de borracha contínua são forçadas a se aproximarem e tornarem-se enredadas. Quando a pressão é liberada, elas não podem voltar para o arranjo original e o sensor não funciona tão bem".

O sensor é sensível o suficiente para detectar uma borboleta colocada sobre ele. "As microestruturas que desenvolvemos fazem a borracha se comportar como uma mola ideal", disse Mannsfeld. A espessura total da pele artificial, incluindo a camada de borracha e os dois eletrodos, é inferior a um milímetro.

A velocidade de compressão e retorno da borracha são fundamentais para que o sensor seja capaz de detectar e distinguir toques separados em rápida sucessão. A película de borracha fina entre os dois eletrodos aloja cargas elétricas, bem como uma bateria. Quando a pressão é exercida sobre o sensor, comprime a borracha, que altera a quantidade de cargas elétricas que o filme pode armazenar. Essa alteração é detectada pelos eletrodos que permitem que o sensor transmita o que é "sentido".

O grau de sensibilidade poderia tornar os sensores úteis para uma ampla gama de aplicações médicas, incluindo cirurgia robótica, explica Bao. Além disso, usando ataduras, os sensores poderiam ajudar na cicatrização de feridas e incisões.

Fonte: Isaude.net
   Palavras-chave:   Pele artificial    Flexível    Sensível    Sensor eletrônico    Película contínua   
  • Indique esta NotíciaIndique esta Notícia
  • Indique esta NotíciaCorrigir
  • CompartilharCompartilhar
  • AlertaAlerta
Link reduzido: 
  • Você está indicando a notícia:
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

  • Você está informando uma correção para a matéria:


Receba notícias do iSaúde no seu e-mail de acordo com os assuntos de seu interesse.
Seu nome:
Seu email:
Desejo receber um alerta com estes assuntos:
Pele artificial    flexível    sensível    sensor eletrônico    película contínua   
Comentários:
Comentar
Deixe seu comentário
Fechar
(Campos obrigatórios estão marcados com um *)

(O seu email nunca será publicado ou partilhado.)

Digite a letras e números abaixo e clique em "enviar"

  • Twitter iSaúde
publicidade
Jornal Informe Saúde

Indique o portal
Fechar [X]
  • Você está indicando a notícia: http://www.isaude.net
  • Para que seu amigo(a) receba esta indicação preencha os dados abaixo:

RSS notícias do portal  iSaúde.net
Receba o newsletter do portal  iSaúde.net
Indique o portal iSaúde.net
Notícias do  iSaúde.net em seu blog ou site.
Receba notícias com assunto de seu interesse.
© 2000-2011 www.isaude.net Todos os direitos reservados.