Geral
16.04.2010

Febrasgo avalia relação entre contraceptivo e sexualidade em cinco estados

Pesquisa encomendada ao IBOPE revela os efeitos das pílulas sobre as brasileiras: autoestima, aumento da libido

Foto:Divulgação/Syrf
Ibope realiza pesquisa com 500 mulheres entre 15 e 45 anos sobre métodos contraceptivos
Ibope realiza pesquisa com 500 mulheres entre 15 e 45 anos sobre métodos contraceptivos

Uma pesquisa Ibope encomendada pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) com 500 mulheres entre 15 e 45 anos, em cinco capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre), avaliou a relação entre o contraceptivo mais usado pelas mulheres e sua sexualidade. Uma das grandes descobertas é que muitas mulheres acreditam ter maior freqüência sexual com o uso das pílulas e o medicamento teria efeito sobre a autoestima feminina.

Existe uma relação entre pílula anticoncepcional e libido feminina? A pílula pode realmente alterar a libido? De que maneira a pílula auxilia na sexualidade da mulher? A pesquisa desenvolvida pelo IBOPE faz parte do projeto R.O.S.A. (Resultados e Opiniões sobre Saúde e Anticoncepcional), que pretende traçar o conhecimento da brasileira sobre a pílula e entender como o método contraceptivo influencia sua qualidade de vida. O Projeto R.O.S.A conta com apoio da Janssen-Cilag Farmacêutica.

" O objetivo do projeto é ouvir o que as mulheres sabem e acham sobre seu método contraceptivo, afinal são elas que tomam a decisão final sobre a pílula. O médico se baseia nas decisões científicas, mas é a mulher que tem que dizer o que é melhor para ela" , afirma o ginecologista Nilson Roberto de Melo, presidente da FEBRASGO. A pesquisa mostrou que 61% das mulheres se informa sobre a pílula com o médico e 26% pela internet. O tema sexualidade foi o escolhido para dar início ao projeto.

De acordo com a pesquisa, uma em cada três brasileiras acredita que o uso da pílula anticoncepcional melhora a satisfação sexual. " Além da liberdade da contracepção, as pílulas mais modernas têm efeitos na autoestima da mulher, melhorando pele, cabelo e aparência em geral. Isso é decisivo para a mulher se sentir mais satisfeita com o sexo" , afirma o ginecologista Gerson Lopes, presidente da Comissão Nacional de Sexologia da FEBRASGO.

Libido X Pílula

A pesquisa também avaliou a relação entre pílula e libido: 11% das brasileiras acreditam que a pílula aumenta o desejo sexual. " As combinações de hormônios existentes nas pílulas anticoncepcionais influenciam a libido feminina, algo que é desconhecido ainda pelas mulheres brasileiras e só é abordado pelos médicos quando questionados pelas pacientes" , explica Gerson. " Isto acontece porque o desejo sexual é complexo e envolve outras questões psicológicas, físicas, culturais e sociais" , afirma.

" Alguns tipos de anticoncepcionais, cuja ação denominamos anti-androgênica moderada mantém a testosterona (hormônio responsável também pela libido feminina) equilibrada no organismo. Isto é extremamente benéfico no sentido de não comprometer a libido" , explica Lopes.

Mais Sexo

A pesquisa também mostrou que 29% das brasileiras afirmam ter maior frequência sexual por conta da pílula. " As mulheres começaram a ter uma vida sexual mais ativa após a invenção da pílula, aumentando o número de relações sexuais" , explica Gerson. " Não ter medo de engravidar facilitou a vida sexual da mulher" .

Fonte: Isaude.net