Ciência e Tecnologia
17.03.2010

Radioterapia precisa pode melhorar sobrevida de pacientes com câncer inoperável

Nova terapia testada utiliza múltiplos feixes de radiação para atingir um tumor do câncer mais precisamente

Foto: Divulgação/UCL
Especialista submete paciente a tratamento de radioterapia
Especialista submete paciente a tratamento de radioterapia

Um estudo conduzido por médicos da Universidade do Sudeste do Texas revelou que a terapia que utiliza múltiplos feixes de radiação para atingir um tumor do câncer mais precisamente, foi capaz de eliminar o tumor primário e melhorar as taxas de sobrevivência de pacientes com câncer de pulmão que não podem se submeter à cirurgia.

Os resultados do estudo mostraram que o câncer primário não se repetiu em quase 98 % dos 55 participantes que receberam a radioterapia estereotáxica corpórea (SBRT). Mais da metade desses pacientes (56 %) estavam vivos três anos após o diagnóstico, enquanto menos de 20% morreram em função de metástase.

A SBRT é um procedimento não invasivo que produz feixes de radiação sobre um tumor de uma maneira concentrada e extremamente precisa. Cada um desses raios é relativamente fraco e provoca poucos danos quando viajam através do corpo do paciente. Quando todos os raios convergem para um tumor, no entanto, seu efeito cumulativo proporciona uma dose extremamente potente destinada a destruir as células-alvo com grande precisão.

Neste estudo, dos 55 pacientes diagnosticados com câncer de pulmão de pequenas células (câncer NSCL), em estágio inicial, foram incapazes de ter seus tumores removidos cirurgicamente por causa de problemas médicos independentes.

Em vez da radioterapia convencional, que geralmente é oferecida a esses pacientes e é administrada em 20 a 30 tratamentos ambulatoriais, os participantes do estudo foram tratados com a SBRT durante três tratamentos em ambulatório.

"Apesar da alta potência do tratamento, menos de 20 % destes pacientes extremamente frágeis experimentaram declínios de saúde sérios," disse o vice-presidente de oncologia e radiação e principal autor do estudo, Robert Timmerman. "Nós acreditamos que estes resultados justificam a SBRT como um padrão de tratamento para o câncer pulmonar em pacientes com problemas médicos graves, como enfisema, doenças cardíacas e derrames" .

O pesquisador acrescentou que o controle do tumor primário é um requisito essencial para a cura do câncer de pulmão e que a radioterapia testada neste ensaio clínico forneceu mais que o dobro da taxa de controle do tumor primário, quando comparada com a radioterapia convencional.

"Os resultados apoiam a investigação clínica em curso sobre o uso da SBRT em pacientes saudáveis, que atualmente se submetem à cirurgia para o câncer NSCL em estágio inicial", relatou Timmerman. "A SBRT é rápida, conveniente e muito eficaz".

Fonte: Isaude.net