Ciência e Tecnologia
29.10.2013

Radiação usada no tratamento do câncer de mama pode aumentar riscos cardíacos

O risco é menor entre mulheres que receberam radiação em seu seio direito enquanto estavam deitadas de bruços

Imagem: Columbia University
David Brenner, pesquisador envolvido no estudo
David Brenner, pesquisador envolvido no estudo

A terapia de radiação usada na fase inicial do tratamento do câncer de mama carrega um pequeno, mas real risco de doença cardíaca.

O risco pode chegar a até 3,5%, dependendo de como a radiação foi empregada aliada ao risco global de uma mulher para a doença cardíaca.

De acordo com estudo realizado na Universidade de Columbia (EUA), as mulheres com maior risco são aquelas que receberam radiação em seu seio esquerdo enquanto estavam deitadas sobre suas costas e que já possuem uma predisposição para doença cardíaca.

A radiação da mama esquerda expõe mais o coração, afirmam os pesquisadores.

O risco é menor entre mulheres que receberam radiação em seu seio direito enquanto estavam deitadas de bruços. A aplicação no lado direito, deixa o coração totalmente fora do campo de radiação.

"Nossos resultados confirmam que a exposição à radiação associada à radioterapia do câncer de mama esquerdo está associada a um aumento do risco de doença cardíaca," disse o pesquisador David Brenner.

"É claro que efeito colateral precisa ser equilibrado com os benefícios da radiação, de eficácia comprovada para o tratamento da fase inicial da mama. Todas as terapias de câncer envolvem benefícios e riscos."

Para as mulheres que necessitam de realizar o tratamento no seio esquerdo, o risco de desenvolver doença cardíaca pode ser diminuído com a aplicação realizada com a paciente de bruços.

Além disso, como a maioria das mulheres com risco de doenças cardíacas já têm mais probabilidade de serem afetadas pelo tratamento, Brenner sugere que elas evitem o fumo e mantenham a pressão arterial e o colesterol sob controle.

Fonte: Isaude.net