Saúde Pública
21.10.2013

Pernambuco ganha prêmio nacional por programa de combate à tuberculose

O prêmio foi para o trabalho de detecção de tratamento da tuberculose e hanseníase em três penitenciárias do Estado

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco foi a vencedora da 13º Mostra Nacional de Experiências Bem-sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (Expoepi), encerrada nesta sexta-feira (18) em Brasília. O trabalho de detecção de tratamento da tuberculose e hanseníase em três penitenciárias do Estado, inscrito pelo programa Sanar, foi vencedor na categoria "Tuberculose e Populações Vulneráveis".

"Esse é um prêmio muito importante, porque, de 700 trabalhos inscritos em todo o brasil, em 18 categorias, foi o vencedor. E também pelo seu significado, já que ganhamos a partir de uma experiência de enfrentamento de uma doença grave, historicamente negligenciada e em uma população muito vulnerável, que é a carcerária, que tem 40 vezes mais chance de adoecer de tuberculose", explica Roselene Hans, diretora-geral de Vigilância Epidemiológica.

Desde 2011, quando o Sanar foi criado na Secretaria Estadual de Saúde, foi iniciada uma ação de prevenção e controle dessas doenças nas penitenciárias Barreto Campelo, Agroindustrial São João (PAI) e unidade de segurança máxima de Igarassu. Nessas instituições, onde estão 6.680 pessoas privadas de liberdade, foram identificados e examinados 533 indivíduos com sintomas comuns a essas duas enfermidades. Ao todo, foram diagnosticados 32 casos de tuberculose (8%) e 15 casos de hanseníase (9%), no período de um mês de intensificação dos exames de baciloscopia (tuberculose) e sensibilidade da pele (hanseníase), com o apoio de uma equipe médica.

"Todos os detentos diagnosticados estão sendo tratados e, desta forma, bloqueamos a cadeia de transmissão. Foi um trabalho inédito, pelo método de pesquisa que utilizamos, o grupo focal, de Caplan. Tivemos também ótimos resultados qualitativos, como a adesão dos presos, que se tornaram multiplicadores, vigilantes quanto à tosse dos companheiros, incentivando-os seguir o tratamento", explica Laís Costa, técnica do programa estadual de controle da Tuberculose e autora do trabalho.

Atualmente, 4.621 pessoas se tratam da tuberculose em Pernambuco, enquanto outras 3 mil recebem tratamento de hanseníase..

Fonte: Isaude.net