Ciência e Tecnologia
19.10.2013

Pesquisa de Oxford sugere que beijo ajuda a selecionar e manter parceiros

"Beijar em relações sexuais humanas é extremamente prevalente sob vários aspéctos em praticamente todas as sociedades"

Foto: Foto Stock © Alexandru Chiriac
Beijo ajuda a escolher e a manter parceiros e se torna mais importante com o aprofundamento da relação
Beijo ajuda a escolher e a manter parceiros e se torna mais importante com o aprofundamento da relação

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford sugere que o beijo nos ajuda a dimensionar os potenciais parceiros e, uma vez em um relacionamento, pode ser uma maneira de conseguir manter este parceiro.

"Beijar em relações sexuais humanas é extremamente prevalente em quase todas as sociedade e culturas diferentes", disse Rafael Wlodarski, um dos integrantes da pesquisa no Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de Oxford. "O beijo também é comum entre nossos parentes primatas mais próximos, como os chimpanzés e os bonobos, apesar de ser menos intenso entre eles."

A equipe do professor Robin Dunbar criou um questionário online no qual mais de 900 adultos responderam a perguntas sobre a importância do beijo em relacionamentos de curto e longo prazo.

"Existem três teorias principais sobre o papel do beijo nos relacionamentos. A primeira é que, de alguma forma, ajuda a avaliar a qualidade genética de potenciais companheiros; em seguida, que é usado para aumentar a excitação (para iniciar o sexo, por exemplo); por último que é útil para manter as relações por mais tempo," afirmou Wlodarski.

Os resultados da pesquisa mostraram que as mulheres classificam o beijo como geralmente mais importante em relacionamentos do que os homens. Além disso, homens e mulheres que se classificaram como sendo atraentes ou que tendem a ter mais relações de curto prazo e encontros casuais, também classificaram o beijo como importante. Segundo os pesquisadores isto sugere que o beijo ajuda a avaliar o potencial do companheiro.

Nos seres humanos, como em todos os mamíferos, as fêmeas devem investir mais do que os machos nos filhos. Uma gravidez leva nove meses, a amamentação pode levar vários anos. Em decorrência principalmente da maternidade, as mulheres tendem a ser mais seletivas na escolha de um parceiro. Homens e mulheres que são mais atraentes, ou têm mais parceiros sexuais casuais, também se mostraram mais seletivos na escolha de parceiros em potencial.

Várias pesquisas já sugeriram que beijar pode permitir que as pessoas, subconscientemente, avaliem um parceiro em potencial através de gosto ou cheiro, pegando sinais biológicos para compatibilidade, aptidão genética ou a saúde geral.

De acordo com Dunbar, "trata-se de uma série de períodos de avaliações, onde as pessoas se perguntam: devo continuar a aprofundar esta relação? A atração inicial pode incluir questões faciais, corporais e sociais. Em seguida, as avaliações tornam-se mais e mais íntimas com o aprofundamento das fases de namoro, e é aí que a importância do beijo é maior."

Os pesquisadores relatam suas descobertas em dois artigos, um na revista Archives of Sexual Behavior, ea segunda na revista Human Nature. Eles foram financiados pelo Conselho Europeu de Investigação.

Fonte: Isaude.net