Profissão Saúde
18.10.2013

Aproveitando o dia da categoria, Médicos realizam paralização em hospital do RS

A classe protesta contra demissão coletiva de médicos que acumulavam cargos administrativos no Hospital Centenário

Foto: Hospital Centenário
Fachada do Hospital Centenário em São Leopoldo, Rio Grande do Sul.
Fachada do Hospital Centenário em São Leopoldo, Rio Grande do Sul.

Os médicos do Hospital Centenário realizam um ato público na frente da instituição na próxima sexta-feira (18), entre 11h e 13h, para protestar sobre a precária situação do único hospital de São Leopoldo. A mobilização marca o Dia do Médico e o apoio da categoria a demissão coletiva dos colegas que acumulavam cargos na administração do hospital até a noite dessa terça-feira (15).

Nesta quinta-feira (17), às 13h, o ex-diretor técnico do Centenário, Marcus Vinícius Netto, e os coordenadores da UTI, da Emergência, Pediatria, do Centro Obstétrico, do Bloco e Clínica Cirúrgica e da UTI Neonatal formalizam a retirada coletiva da administração da instituição na administração do Centenário.

O motivo é o não cumprimento do compromisso assumido em janeiro deste ano pela prefeitura de promover a reestruturação do hospital, condição essencial para abertura de concurso público para contratação de médicos para fechar as escalas de plantão e qualificar o atendimento à população.

Desde a interdição do exercício da Medicina em 2 de maio do ano passado, pouco mudou na rotina do hospital. Faltam profissionais para fechar as escalas de plantão e recursos essenciais para a prestação da assistência à população, itens principais do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público em maio de 2012.

Ao invés de abrir concurso público e aprovar um plano de carreira para atrair profissionais, a prefeitura terceiriza setores essenciais do Centenário: a emergência pediátrica, o setor de politraumatizado adulto e a sala de recuperação.

Fonte: FENAM