Saúde Pública
30.09.2013

Caminhada chama a atenção para envelhecimento saudável em São Paulo

O objetivo foi chamar a atenção para nutrição e atividade física. Dois temas centrais na busca de uma velhice saudável

Foto: Marcelo Camargo/ABr
Cerca de 180 pessoas com mais de 60 anos participaram da segunda edição da Caminhada Lazer e Saúde, em comemoração ao Dia Internacional do Idoso
Cerca de 180 pessoas com mais de 60 anos participaram da segunda edição da Caminhada Lazer e Saúde, em comemoração ao Dia Internacional do Idoso

Cerca de 180 pessoas com mais de 60 anos participaram na manhã deste domingo (29) da segunda edição da Caminhada Lazer e Saúde, em comemoração ao Dia Internacional do Idoso, em 1º de outubro. Divididos em grupos monitorados, os idosos percorreram um circuito de 2 quilômetros, dentro do estacionamento do Hospital das Clínicas, na região central da capital paulista. A ideia foi chamar a atenção para dois temas centrais que ajudam no envelhecimento saudável: nutrição e atividade física.

Segundo o diretor do Serviço de Geriatria do Hospital das Clínicas, Wilson Jacob Filho, o objetivo da caminhada é incentivar as pessoas e criar um ambiente favorável à prática de atividade física. "O melhor exemplo foi dado hoje. Mesmo em uma manhã chuvosa, mais de dois terços dos inscritos vieram à caminhada". Cada grupo de idosos participou de atividades que envolviam memória, força, equilíbrio e velocidade. "Todos os grupos foram monitorados e nós, que organizamos o evento, fizemos o circuito também para vivenciar a experiência."

Jacob ressaltou que, apesar de muitas pessoas acreditarem que exames muito sofisticados ou remédios sejam a base fundamental para a boa saúde, os fatores que realmente garantem isso na idade mais avançada são a nutrição e a atividade física. "O indivíduo que se mantém ativo tem saúde suficiente para viver bem em toda a sua vida. O terceiro componente é a sociabilização. Neste grupo em que muitos já se conhecem e outros não, forma-se uma grande associação de interesses fazendo com que um colabore com o outro e tenha a solidariedade necessária para um bom exercício da cidadania."

A pensionista Auristela Batista Lopes, de 73 anos, participa regularmente das atividades do Grupo de Assistência Multidisciplinar ao Idoso Ambulatorial (Gamia) do Hospital das Clínicas, e disse que passou a frequentar as atividades para ter mais amigos, interagir e não ficar em casa sozinha depois de ficar viúva. "Vim hoje à caminhada porque normalmente eu já faço bastante atividade física e acho muito importante. Eu moro a duas horas daqui e não falto às atividades".

Fonte: AGÊNCIA BRASIL