Saúde Pública
03.09.2013

Mais Médicos envia 10 cubanos para Sergipe. Brasileiros chegaram nesta segunda

Estado vai receber 29 médicos, sendo 17 brasileiros formados no Brasil, 2 brasileiros formados no exterior e 10 cubanos

Foto: Agência Sergipe
João dos Santos Lima Junior, diretor de Atenção Integral à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde
João dos Santos Lima Junior, diretor de Atenção Integral à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde

Dos 75 municípios sergipanos, 31 foram considerados prioritários pelo Ministério da Saúde. Sergipe vai receber 29 médicos, sendo 17 brasileiros formados no Brasil, 2 brasileiros formados no exterior e 10 cubanos.

Os médicos brasileiros começam a chegar nesta segunda-feira (2) nos nove municípios selecionados: Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, Lagarto, São Cristóvão, São Miguel do Aleixo, Santo Amaro das Brotas, Santa Luzia do Itanhy, Pirambu e Aquidabã.

"Os 17 médicos brasileiros formados no Brasil se apresentam diretamente nas Secretarias Municipais de Saúde. Esses médicos vão receber do Ministério da Saúde uma parcela única de R$20mil reais que vai ajudar a custear a fixação deles na cidade escolhida e mais a bolsa de R$10 mil mensais. Já os 02 médicos brasileiros formados no exterior chegam juntamente com os cubanos no dia 16 de setembro", explica João dos Santos Lima Junior, diretor de Atenção Integral à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde.

Do grupo de médicos cubanos que já está em Brasília participando de cursos sobre legislação do SUS, entre outros, dez irão trabalhar em Sergipe em cinco municípios: Nossa Senhora Dores, Canindé de São Francisco, Poço Redondo, Gararu e Umbaúba, sendo 02 para cada município.

"Os médicos cubanos estarão até o dia 13 de setembro em treinamento em algumas capitais, nos dias 14 e 15 estarão se deslocando para Sergipe e no dia 16 de setembro, apresentam-se oficialmente aos cinco municípios. No dia 16, também se apresentam os dois brasileiros que possuem diploma estrangeiro", esclarece o diretor João Junior.

"Desde o início da implantação em 1994 da estratégia de Saúde da Família, o Brasil nada mais fez do que ir buscar experiência em Cuba, que era uma experiência de sucesso, não só pela questão do modelo implantado, mas pela quantidade de profissionais médicos. Cuba hoje é o melhor exemplo de atendimento de médico de família e de comunidade do mundo. Eu vejo os médicos cubanos como uma chegada que irá trazer uma expectativa de sucesso ao programa e, principalmente, à prestação de serviços à comunidade", ressalta a secretária de Estado da Saúde, Joelia Silva Santos.

A secretária de Estado explica ainda que "os médicos cubanos vão para os municípios que não foram selecionados por profissionais brasileiros e vão trabalhar especificamente na atividade no programa Mais Médicos, para o que a estratégia de Saúde da Família se propõe, não podendo atuar em outras atividades a exemplo de plantões, atenção especializada, ambulatorial ou hospitalar.

Com informçaões da Agência Sergipe de Notícias

Fonte: Isaude.net