Ciência e Tecnologia
26.08.2013

Cocaína induz crescimento de estruturas cerebrais ligadas à aprendizagem

Pesquisa realizada nos EUA identifica um possível mecanismo para o comportamento de busca por droga em seres humanos

Foto: Tracy Nors/Foto Stock
Pesquisadores também descobriram uma relação entre o crescimento de novas espinhas dendríticas e a aprendizagem associada a drogas.
Pesquisadores também descobriram uma relação entre o crescimento de novas espinhas dendríticas e a aprendizagem associada a drogas.

Pesquisadores dos Estados Unidos demonstraram que camundongos que receberam cocaína mostraram rápido crescimento de novas estruturas cerebrais associadas com o aprendizado e a memória.

Os resultados sugerem um mecanismo de ação por meio do qual o uso de drogas pode levar a um comportamento de procura pela substância que estimula seu uso contínuo.

A equipe, liderada por Linda Wilbrecht, da Universidade da Califórnia, usou um microscópio que lhes permitiu perscrutar diretamente em células nervosas dentro do cérebro de ratos vivos.

Dentro de duas horas fornecendo cocaína, eles notaram aumentos significativos na densidade das espinhas dendríticas, estruturas que apoiam as sinapses necessárias para sinalização, no córtex frontal dos animais. Em contraste, os ratos que receberam solução salina não apresentaram nenhum aumento.

Os pesquisadores também descobriram uma relação entre o crescimento de novas espinhas dendríticas e a aprendizagem associada a drogas.

De acordo com os autores, os animais que desenvolveram mais espinhas dendríticas, foram aqueles que desenvolveram uma preferência mais forte para estar no recinto onde receberam a cocaína em vez de no recinto onde receberam a solução salina.

Os resultados foram publicados na revista Nature Neuroscience.

"Isso nos dá um possível mecanismo de como o uso de drogas impulsiona o comportamento de procura por droga. Tem-se observado que os usuários de drogas a longo prazo mostra diminuição da função do córtex frontal em conexão com sugestões ou tarefas mundanas, e aumento da função em resposta à atividade ou a informação relacionada com a droga. Esta pesquisa sugere como os cérebros de usuários de drogas podem mudar em direção a essas associações relacionadas com a droga", conclui Wilbrecht.

Fonte: Isaude.net